Jornal Socialista, Democrático e Independente dirigido por Dieter Dellinger, Diogo Sotto Maior e outros colaboradores.
Sábado, 17 de Dezembro de 2005
Água Ácida em Marte, mas Vida Não
Marsrover626a.jpg

Robot Marsrover Spirit na Superfície de Marte

As descobertas feitas recentemente pelos cientistas com base nos dados fornecidos pelas viaturas robots Spirit e Opportunity não suscitaram caixas altas nos meios de comunicação mundial.

Ainda não foi encontrado em Marte e provavelmente nem venha a ser descoberto aquilo que mais a Humanidade deseja conhecer; vida extra-terrestre.

Havia a ideia de que Marte poderia ter estado coberta por mares no passado geológico e onde houve água em abundância teria havido vida e, se esta tivesse desaparecido da superfície marciana, poderia ter deixado sinais da sua existência como fósseis, marcas em rochas, etc. e para descobrir esses sinais nada como pesquisar as zonas com uma aparência de erosão marinha como foi a Cratera de Gusev que do satélite orbital dava a impressão de ter sido um grande lago.

Esse local foi escolhido para receber os dois robots “Spirit” e “Opportunity” que, a partir de Janeiro de 2004, iniciaram um longo programa de pesquisa e filmagem do ambiente. Os dados foram sendo trabalhados pelos cientistas norte-americanos e apresentados pelo grupo de trabalho da Nasa, há semanas atrás, na Reunião da União Geofísica Norte-Americana em São Francisco.

A cratera de Gusev é muito complicada no aspecto geológico e representa uma janela aberta para os primeiros 500 a 1.000 milhões de anos do nosso vizinho e companheiro. Os sinais recolhidos permitem a afirmação que Marte viveu tempos terríveis, tendo recebido os impactos de um grande número de meteoritos, alguns mesmo de dimensões apreciáveis. Gigantescos impactos devem ter provocado algo semelhante a explosões com o atirar de partes da crosta marciana para grandes altitudes e subsequente queda e divisão em pequenas rochas. Do lago ou mar antigo e desaparecido não foi descoberta qualquer evidência. Deverá contudo ter havido água, mas abaixo da superfície marciana e só os impactos poderão tê-la trazido para a superfície depois de aquecida e transformada em vapor para cair e voltar lentamente às profundezas marcianas.

De acordo com Steve Squyres da “Cornell University” e investigador do projecto “Rover” em Marte, os dois robots descobriram na cratera o mineral de ferro hematite que na Terra surge em consequência de alterações produzidas por água oxigenada ou por influência vulcânica.

Essa água marciana dissolveu muitos minerais abaixo da superfície e fê-los vir acima e, além disso, deixou zonas lisas nas quais se evaporou e deixou muitos sais.

Esses sais todos sulfurosos formaram uma crosta que se decompôs depois de secar totalmente, dando origem a dunas em resultado da erosão eólica que foram observadas. A água vulcânica terá formado correntes nos pequenos vales entre as dunas, deixando sinais evidentes da erosão líquida.

Marte, nos seus primeiros mil ou dois mil milhões de anos de existência foi um Mundo muito agreste, mas teoricamente possível para alguma forma de vida.

“Apesar de os robots terem apenas pesquisado alguns quilómetros da superfície marciana, parece possível afirmar que Marte foi dominada mais pelo vulcanismo do que pela água”, acentuou o cientista norte-americano e a água deveria ter sido muito ácida, praticamente acido sulfúrico, pois encontraram minerais como a Jarosite que na Terra se forma sob a influência de ácidos vulcânicos. Além disso, na Terra existem bactérias que se especializaram nos meios ácido ou fontes sulfurosas no fundo do mar, mas parece que são mais uma consequência de um processo evolutivo do que criativo naquele meio.

Tudo indica pois que em Marte não se verificaram as condições que deram origem à vida, as quais não são bem conhecidas na Terra, quer dizer, as reacções químicas que originaram a vida terrestre não se deram em ambientes tão ácidos como os prevalentes em Marte nos tempos em que o planeta não estava totalmente seco.

Claro, resta ainda estudar as zonas polares marcianas em que existe água ou ácido gelado quase à superfície de Marte, mas os cientistas não acalentam grandes esperanças quanto á descobertas de sinais de vida no passado.

Enfim, parece que no Sistema Solar não há sinais de vida. Talvez o satélite “Europa” que parece conter água depois de uma vasta calote polar tenha algum tido de vida animal ou vegetal, mas as sondas já lançadas não produziram ainda quaisquer sinais.

Tudo indica que estamos sós e teremos de procurar vida muito longe; em planetas extra-terrestres cujo acesso é, para já, quase impossível a sondas espaciais, excepto no caso de esperarmos pelos resultados daqui a muitas gerações humanas.

Contudo, não há razões para desesperar. As descobertas feitas pelas ciências espaciais têm sido imensas, tanto a nível de planetas extra-terrestres, já visualizados por telescópios colocados no deserto chileno de Atacama, como a mais recente, a de um gigantesco buraco negro no centro de nossa galáxia que atrai estrelas antigas como terá dado origem a estrelas novas pela acção da sua poderosa força de gravidade a grande distância. Mas, o assunto fica para um próximo artigo.


tags:

publicado por DD às 22:07
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Os Fogos em Portugal

Portugal em Forma e Antón...

O "Crime" da EDP

Dieter Dellinger: BOAS NO...

Dívida Pública: Acordo BE...

Suicídio da Europa segund...

Marcelo Condecora Soares ...

Comissária Desconhecida q...

Produção de Automóveis

Défice de 2%

arquivos

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2004

Maio 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds