Jornal Socialista, Democrático e Independente dirigido por Dieter Dellinger, Diogo Sotto Maior e outros colaboradores.
Terça-feira, 26 de Setembro de 2006
A Dissuasão Submarina de Israel

 

Os submarinos israelitas são os únicos navios do género pintados de verde.

 

Para além de uma poderosa força aérea com mais de 250 F-16 de várias gerações e equipados como caças-bombardeiros ou apenas interceptores e alguns F-15, Israel possui uma poderosa força de retaliação constituída por três submarinos da classe Dolphin construídos na Alemanha e que eram até agora, ou ainda são, os melhores submarinos diesel-eléctricos do Mundo. Duas unidades foram doadas pelo Estado alemão e a outra paga por Israel.

            O aspecto fundamental do poder militar destes submarinos consiste na possibilidade de lançarem 16 mísseis superfície-superfície do tipo Harpoon que entregam uma carga explosiva de 227 km a uma distância de 130 km, voando a baixa altitude a uma velocidade de aproximadamente 1.000 km/h. A carga explosiva convencional seria suficiente para destruir a maior parte das refinarias petrolíferas do Irão, por exemplo, localizadas perto da costa e os portos de exportação do petróleo bruto no caso de Israel ser atacado por mísseis pesados iranianos. Contra alvos inflamáveis como refinarias, depósitos petrolíferos, portos de exportação de petróleo, etc., os Harpoon são uma arma temível. Contra alvos protegidos têm um poder relativo, excepto um pouco contra bases aéreas localizadas a não mais de 100 km de uma costa. A capacidade de lançamento de torpedos é igual, pois podem disparar 16 torpedos de 533 mm de diâmetro com uma carga letal de 260 kg, o que permite defender a costa israelita, mas não há forças navais muito poderosas entre os inimigos actuais e possíveis de Israel e, principalmente que não possam ser eliminadas pelas bombas de 2.000 libras lançadas pelos F-16s e Israel este a receber 107 unidades de uma das versões mais recentes, a block 52, até ao início do próximo ano. Para além disso, os submarinos israelitas podem largar veículos de homens-rãs para colocarem cargas explosivas no casco de navios inimigos.

            Os torpedos que equipam os Dolphin levam uma carga de 250 kg de explosivo e são filoguiados para atingirem com precisão um alvo a 23 km de distância e a uma velocidade de 35 nós ou a 28 km a 22 nós de velocidade.

            Segundo alguns informadores, estes submarinos israelitas possuem quatro tubos lança torpedos de 533 mm para mísseis Harpoon e torpedos e dois de 650 mm de diâmetro para mísseis especiais de longo alcance com cabeças nucleares, cujo alcance será bem superior aos Harpoon, mas é mantido secreto. De resto, Israel nunca confessou que possui armas nucleares, mas tudo indica que deverá ter quatro a seis bombas atómicas.

            Os israelitas mantêm, desde que o Irão começou a ameaçar o seu país, um dos seus submarinos no Índico, enquanto outro poderá ou não navegar no Mediterrâneo ou estar em viagem de ida ou volta ao Índico e outro em manutenção em Israel.

            Os Dolphin deslocam 1.640t à superfície e 1.900t em imersão. A velocidade máxima submersa é de 20 nós e de 11 nós à superfície. O casco é gotiforme com 57,3 metros. Conseguem navegar 8 mil milhas a 8 nós e à superfície e 400 milhas imersos a 8 nós.

            No Oriente tão dependente do petróleo, os submarinos israelitas são a única arma de retaliação a grande distância, apesar de se saber os F-16 são capazes de voar a milhares de milhas de distância desde que a carga letal seja reduzida a uma só bomba de duas mil libras e as quatro toneladas disponíveis sejam substituídas por tanques de combustível. Foi assim que destruíram em 1981 o reactor nuclear iraquiano perto de Bagdad, voando a baixa altitude para não serem detectados pelos radares.

            Os Dolphin israelitas são relativamente novos pois o primeiro data de 1999 e o terceiro de 2000. A sua guarnição é de 30 elementos humanos.

 

Para além do armamento, os Dolphin estão bem equipados de electrónica e sensores sonar, nomeadamente um de reboque para detecção a grande distância, sistemas de guerra electrónica e controle de armas, incluindo um receptor passivo de ondas de radar Timnex 4CH(V)2 desenvolvido pela empresa israelita Elbit de Haifa.

 

A Alemanha Fornece mais dois Submarinos a Israel

 

 

No passado dia 6 de Julho foi assinado o contracto para o fornecimento de mais dois submarinos da classe Dolphin a Israel no valor de mil milhões de euros, dos quais um terço são pagos pelo Estado alemão como continuação do processo de compensação financeira pelo holocausto do povo judeu praticado pelos Nazis. Grande parte do resto será pago em compensações de material bélico para as forças armadas alemãs.

 

O preço de 500 milhões de euros por cada submarino está a causar uma certa polémica na Alemanha por ser quase o dobro do custo dos anteriores submarinos apenas diesel-eléctricos da mesma classe.

 

 

Os dois novos submarinos são aparentemente muito idênticos aos três “Dolphin” entregues em 1999 e 2000, mas equipados com células de combustível para carregamento de baterias sem utilização dos motores diesel e, portanto, sem necessidade de ar atmosférico, o que permite prolongar a navegação debaixo de água a velocidade lenta e extremamente silenciosa. Podem pois patrulhar certas águas sem serem detectados.

 

O governo de coligação SPD-Verdes de Schroeder e a sua maioria parlamentar já tinham autorizado a venda, mas com a mudança de governo e a entrada da direita alemã no Governo só agora é que foi possível assinar definitivamente o contracto.

O partido da actual primeira-ministra Angela Merkel estava renitente, mas o bombardeamento de Israel por mais de 4 mil foguetões de campanha BM 21 Grad (Katyushas modernos) e mísseis de médio alcance levantaram todas as reticências do CDU/CSU.

 

Os pormenores das duas unidades não foram dados a conhecer, mas acredita-se que sejam idênticos aos Dolphin, eventualmente com um acréscimo de comprimento para albergar as células de combustível e deverão, naturalmente, sofrer as alterações secretas a que foram submetidos os três primeiros Dolphin em estaleiros israelitas logo que chegaram da Alemanha. Não se sabe é se essas alterações serão concretizadas já nos estaleiros dos construtores.

 

Também devem ser equipados com dois tipos de tubos lança-torpedos, sendo o mais largo (650 mm) destinado a mísseis de cruzeiro com ogivas nucleares e um alcance de 1.500 km, enquanto os de 533 mm são para torpedos ou minas convencionais.

 

Há não muito tempo, Israel fez um teste de lançamento desses mísseis de cruzeiro no Índico, ao largo de Sri Lanka. Israel deu assim um sinal ao Irão que não pode pensar num ataque nuclear a Israel sem sofrer retaliações terríveis.

 

Com cinco submarinos Dolphin, Israel poderá manter em permanência uma a duas unidades em patrulha no Índico como dissuasores de qualquer veleidade nuclear do regime fundamentalista xiita do Irão.

 

 



publicado por DD às 16:25
link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De carlosargusvieira a 10 de Outubro de 2009 às 02:12
É por sua vez, israel tbm está com a espada no pescoço; se atacar o Irã, o revide será mt duro, 10 x > q o q o Hezbollah fez...é bom ñ esquecer disto.


De Ricardo Henriques a 28 de Fevereiro de 2012 às 02:58
Morte aos aiatolás!


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Faaleceru o HOMEM da Libe...

Paulo Silva – O Caçador d...

A Europa tem Medo dos Muç...

Dieter Dellinger: Estalin...

Dieter Dellinger: Portuga...

Dieter Dellinger: A Obesi...

Trump vai nomear um Gover...

Dieter Dellinger copiou: ...

Arnaldo Matos acerca de G...

Dieter Dellinger copiou d...

arquivos

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2004

Maio 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds