Jornal Socialista, Democrático e Independente dirigido por Dieter Dellinger, Diogo Sotto Maior e outros colaboradores.
Segunda-feira, 28 de Novembro de 2011
A China é o maior fabricante de camiões do Mundo

 

·         A China espera fabricar este ano quase um milhão de grandes camiões com 37% da produção mundial em seis fábricas todas estatais ou quase com algumas parcerias tecnológicas estrangeiras.
A Europa fabrica 332.000 camiões com 15% da produção mundial em duas fábricas, a Daimler Trucks (Mercedes) e a Man-Scania (germano-sueca). Os outros fabricantes europeus são quase residuais, não devendo chegar às 5...0 mil unidades.
A China está a tornar-se também numa potência de grande capitalismo estatal com siderurgias, fábricas de automóveis, gigantescos estaleiros navais, minas, refinarias, indústrias químicas, minas, etc. do Estado. Em resumo, o capitalismo ocidental enriqueceu o Estado Comunista chinês que detém a grande indústria do país e está a comprar empresas industriais em todo o Mundo como foi com a Roover-Leyland, a Volvo e agora prepara-se para entrar em empresas estratégicas portuguesas. A banca e as seguradoras são todas estatais na China e se quisessem compravam os bancos portugueses num ápice. Portugal da direita pode tornar-se parcialmente comunista através dos capitais do Estado Chinês e já estão cá milhares de chineses com as suas lojas e as crianças a estudarem nas escolas portuguesas e chinesas que já se instalaram em Portugal.
As direitas europeias, incluindo a portuguesa, estão a abrir as portas ao comunismo chinês desde que venha com o dinheiro que, por embirração e estupidez, a Alemanha da Direita não quer deixar o BCE emitir, ou seja, não quis, porque agora o BCE está a comprar dívida espanhola e italiana com moeda fresca e muito antes de impor quaisquer condições de austeridade. O governo português não está a reagir, nem contra a invasão e estatização da economia chinesa, nem contra o facto de Portugal ser metido num colete de forças de austeridade quando a Itália e a Espanha gozam de prerrogativas especiais. Já tinha acontecido isso há mais de um mês e voltou a acontecer na semana passada. É certo que as emissões do BCE na semana passada foram de uns 8,7 mil milhões de euros, o que não é muito, mas se tiver continuidade nas próximas 56 semanas resolverá o problema italiano e espanhol, deixando Portugal e a Grécia a chuparem no dedo e confrontados com uma austeridade canibalesca.
No fundo, não estou propriamente contra o enriquecimento chinês nem contra o regime da República Popular da China; o que vejo é uma contradição entre a Europa da Direita que quer tudo privado e uma gigantesca potência em vias de chegar aos 1,4 mil milhões de habitantes com dinheiro para se apoderarem sem conquista de quase toda a Europa. Hoje, basta-lhes ir aos mercados bolsistas e comprarem o que quiserem a preços que nem chegam a ser de saldo.

 


tags:

publicado por DD às 23:15
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 25 de Novembro de 2011
O Estado Social foi a Enterrar, saído da Assembleia da República
 
Os deputados parecem estar muito alegres e contentes na votação dos artigos do OE. Brincam entre si como se fosse um jogo de futebol. O BE marcou um golo ao ver aprovada uma proposta para o Estado utilizar consumíveis reciclados, diz um jornalista na TSF, também satisfeito como se estivesse a fazer um relato de um desafio de futebol.
Não parece passar por aquelas cabeças tontas que estão a votar o maior roubo feito a trabalhadores e pensionistas; diretamente em 14,2% dos salários anuais e indiretamente em muito mais no IVA, IRS, eletricidade, água, gás, transportes, habitação, etc., além dos cortes na saúde, educação, segurança, etc.

Eu, se fosse deputado, ia para a AR vestido de preto e com uma gravata preta como se fosse um cangalheiro, já que estaria ali a enterrar o Estado Social que foi uma das grandes esperanças do 25 de Abril. Não seria capaz de me rir ou brincar perante esta morte, mas chorava com pena dos idosos e de todos aqueles que vão empobrecer gravemente no próximo ano. Estamos todos de luto; também pela óbvia morte do Euro e da União Europeia. A Alemanha está a matar a Europa pela terceira vez desde 1914.
Se o Governo PSD/CDS tivesse pessoas com um mínimo de sensibilidade social não Roubava as pensões de reforma e os subsídios das pessoas com mais de 75 anos, ou, roubava uma dos 75 até aos 80 e nenhuma depois. Isto porque todos nós sabemos o que é ser muito idoso e as necessidades dos grandes idosos, tanto para pagar lares como para pessoas que os ajudem em casa. Cada vez morrem mais idosos sozinhos, sem assistência alguma, e o governo vai tirar-lhes dois subsídios, exceto os daqueles que auferem de reformas já de si miseráveis.
A Igreja Católica não se prontificou a defender esses idosos e o bispo Dom não sei quantos da Pastoral Social nada disse. Também a Igreja Católica está completamente falha de sensibilidade social, quando tem políticos da direita no poder. Enfim, uma vergonha para Passos Coelho, Paulo Portas, ministros e Igreja Católica

 



publicado por DD às 19:03
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 13 de Novembro de 2011
Euro morre ou já morreu?
Do meu Facebook:
 
O Euro já morreu? Perguntam todos. Se não morreu, a criança ainda sem fazer os dez anitos está em estado comatoso.Mas pode morrer uma moeda que nunca o foi? Boa pergunta.
O Euro serviu para gastar a moeda antiga, exaurir aquilo que ela representava de valor e trabalho. Gasta a moeda antiga, a nova passou a ser crédito, só serviu para pagar a estranhos vindos de fora com juros, não para garantir o trabalho honrado e sério. O Euro que temos na carteira paga juros a Frankfurt, em português Francoforte, não serve para trabalhar e ganhar. Apenas para ser despedido com a mais pequena compensação possível e um irrisório subsídio de desemprego.
O Euro morre, ficam os sem abrigo, os novos pobres a viverem nos carros abandonados envoltos em mantas antigas e a comer de uns cêntimos que algum passante lhes atira para a mão. Morre o Euro, definham os pensionistas, os funcionários públicos. Os outros não se importam, mas em Janeiro o patrão vai dizer-lhes que tem e baixar o seu magro salário. O Euro morreu para emagrecer as gorduras do Estado e, afinal, serve para nos emagrecer a todos.
Morre o Euro, ficam os cêntimos como de cinzas do finado já cremado fossem.
 
A Standard & Poor informou na quinta- e sexta-feira vários clientes em mails confidenciais que a França teria perdido a classificação AAA. Hoje, veio anunciar que se tratou de um erro dos computadores, a França continuaria com o seu AAA. Apesar de só terem sido informados alguns clientes, houve um início de pânico em França, já como que anulado pela S&P ao dizer que foi um erro. Muitos observadores acham que não foi erro, mas sim um pré-aviso como que a indicar que depois da Itália virá a França ou, talvez, a Espanha antes disso que, de resto, já levou uma desqualificação pelas agências de rating. Curiosamente, fala-se que a zona euro pode ver o seu rating reduzido, dado ter 4,5 biliões de euros no exterior, portanto, de dívida. A China, que mantém ainda o dólar como moeda principal de reserva, já tem 800 mil milhões de euros, com os quais pode comprar o que entender na Euro, nomeadamente empresas, cujo valor bolsista não parou de descer nos dias e semanas.
Todos aqueles que acusam Sócrates de ser o causador de uma dada crise não percebem que o que se trata é de um erro sistémico do capitalismo político, diferente da economia de mercado. Capitalismo de Estado ou Político e economia de marcado não são já a mesma coisa.
Quando o euro foi criado como moeda não dos estados ou nações, mas dos bancos privados, surgiu o erro sistémico que já descrevi aqui. Foi dado a entender que os bancos podiam comprar todas os títulos de dívida dos Estados, que se tornaram no meio de financiamento público, e depois o BCE compraria tudo o que a banca poderia querer vender e não o fez, deixou grande parte da banca com a criança nos braços, o euro. Hoje, a banca do euro está descapitalizada e Paul Krugman disse ontem ao jornal alemão "Handeslblatt" que o BCE deveria passar a ter o funcionamento equivalente ao da Reserva Federal dos EUA antes de se assistir ao rebentar de todas as economias europeias. A dívida da Zona Euro é de um valor absurdo e insuscetível de ser paga. Só a Alemanha terá mais de 5 biliões de euros de dívida real, apesar de dizer que só deve 2 bilhões e qualquer coisa, o que também não é pouco. Infelizmente ninguém percebe isso, ainda ontem Alfredo Barroso falou muito, mas nada disse e o "Monde Diplomatique" publicou um artigo sobre o BCE em que não chega a ir ao fundo da questão, ficou-se pela rama, mas quase tocou no problema.
Krugman e Stiglitz (Nobeis da Economia) previram que o euro não duraria muito mais de 10 anos. Isto há uns 9 anos atrás. Não acreditei e julguei que era inveja americana, mas eles leram os estatutos do BCE e viram que sem emissão de moeda e privilegiando só a estabilidade, toda a zona euro acabaria estagnada em crise e foi o que aconteceu. Ao contrário do que faz qualquer Banco Central, o BCE não ...compra dívida aos estados, mas só no mercado secundário, tendo levado os bancos a comprarem muita dívida na convicção que a venderiam ao BCE sempre que fosse necessário. O BCE não conseguiu assim controlar os montantes das dívidas dos países membros e dos bancos até se chegar à crise generalizada. A privatização de uma moeda foi a origem de um descontrolo global e resultou de uma posição ideológica dos muitos partidos de direita europeia. O BCE enganou toda a banca europeia com a ideia de comprar toda a dívida europeia, algo que não está a fazer.

 


tags:

publicado por DD às 18:34
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
27
28
29

30
31


posts recentes

Incêndios no Sul de Franç...

Isabel Monteiro: O seu Cu...

Portugal paga mais 2.600 ...

O Diabo Chegou?

O Problema Português

Estado Português ou Chinê...

Os Fogos em Portugal

Portugal em Forma e Antón...

O "Crime" da EDP

Dieter Dellinger: BOAS NO...

arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2004

Maio 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds