Jornal Socialista, Democrático e Independente dirigido por Dieter Dellinger, Diogo Sotto Maior e outros colaboradores.
Domingo, 19 de Novembro de 2006
Mortos na Estrada

Hoje é o dia dos mortos na estrada.

Segundo a TSF, morreram na estrada nos primeiros nove meses do ano seiscentas e tal pessoas, portanto menos duzentas e tal que no ano passado.

 

Analisando a estatísticas da DGV, verificamos que estão incluídos os três meses com a maior sinistralidade na estrada em Portugal, ou seja, Julho, Agosto e Setembro.

 

Projectando as médias mensais para o ano inteiro verificamos que deverão morrer cerca de  860 pessoas na Estrada, o que é muito e dramático.

 

Mas as coisas têm de ser vistas na plena amplitude para não sermos estúpidos de todo.

 

Primeiro: Comparação Internacional com os números de 2005. Em Portugal devem morrer 0,086 pessoas por mil habitantes, o que poderá ser um segundo número mais baixo da Europa. No ano passado, morreram no Reino Unido 0,06 pessoas e na Alemanha 0,09. Todos os outros países estiveram muito acima.

 

Segundo: Comparando com o passado.

 

Nos tempos de Salazar e Marcelo Caetano, como sabemos, não se morria na estrada, pelo que não havia estatísticas. Foi só a partir de 1975 é que se começou a morrer em Portugal, antes era o paraíso??????

 

Registamos pois:

1975: 2.676 mortos com menos de um quinto do actual parque automóvel.

1976: 2.594 mortos

1977: 2.153 mortos

1980: 2.262 mortos

1988: 2.534 mortos

1990: 2.321 mortos

1992: 2.372 mortos

1995: 2.085 mortos

1997: 1.939 mortos

2000: 1.629 mortos

2001: 1.466 mortos

2002: 1.469 mortos

2006:    860 mortos (estimativa muito provável)

 

Ao mesmo tempo que o parque automóvel passou de um milhão e cem  mil unidades em 1975 para 5 milhões e setecentas mil este ano, a sinistralidade mortal foi reduzida de 2.676 vítimas mortais para 860, colocando Portugal num lugar cimeiro na Europa em termos de redução e pouca sinistralidade.

 

Claro, não é, por acaso, que Portugal tem a maior rede de auto-estradas da Europa, relativamente á superfície, ou seja, mais de 22 km por mil km2. Apenas a Holanda se aproxima com 20 km e a Irlanda apenas tem 100 km de AE ou 3 km por cada mil km2 de área territorial.

 

É evidente que a queda este ano tem a ver com o preço da gasolina e, infelizmente, nem as gasolineiras nem a Brisa dão estatísticas de consumo e utilização deste ano em comparação com os anos anteriores, mas a estatística mostra uma quebra constante desde 1975 e que se começou a acentuar mais desde 1988. Apenas em 1997 descemos abaixo dos dois mil mortos e a partir daí nunca mais chegámos a essa cifra, estando em 2002 nos 1.469 mortos, o que revela que foi a melhoria muito acentuada na qualidade das estradas que permitiu reduzir o número de mortos enquanto o parque automóvel crescia para os valores proporcionais mais elevados da Europa. Claro, às rápidas intervenções do INEM se deve a salvação de muitas vidas.

 

Nestes números estão incluídos os mortos por atropelamento que atingiram principalmente pessoas com mais de 75 anos, enquanto que os condutores vitimados eram maioritariamente dos extractos etários entre os 20 e os 30 anos. Mas, atenção aos peões, 20% dos mortos na estrada andavam a pé.

 

Quase um terço dos acidentes foram provocados por velocidade excessiva, seguido pela viragem à esquerda, mas o maior número de acidentes dá-se à marcha normal, o que significa distracção, sonolência ou não cumprimento de regras de trânsito.

 

Na estrada, morre-se mais à sexta-feira, sábado e domingo. E mais entre as 15-18H, seguido do período entre as 12-15H e depois entre as 18-21H.

 

Morre-se muito mais com tempo bom que com chuva ou nevoeiro, dizem as estatísticas.

 

A quebra no número de mortos na estrada poderá levaras estatísticas portuguesas a revelarem uma mortalidade global inferior a cem mil pessoas; portanto, poderão morrer este ano, pela primeira vez na História portuguesa, menos de 1% da população, o que será um dos valores mais baixos do Mundo.

 

Enfim, os jornalistas vão falar hoje nos mortos na estrada, sem cuidar de fazer uma análise isenta do problema e vão continuar a propalar aquilo que já foi verdade e hoje é mentira, que Portugal tem o maior índice de sinistralidade rodoviária entre os países da Europa.

 

Portugal para os jornalistas tem sempre de ser o pior país do Mundo.

 

Para mim, Portugal é o que é e em cada situação tem estatísticas próprias que o tornam acima de muitos e abaixo de outros, mas não há uma nação chamada Portugal que seja pior do que qualquer outra no Mundo, seja em que estatística for.

 

Infelizmente, temos TRAIDORES à Pátria como o Marques Mendes que no estrangeiro anda a fazer uma campanha contra Portugal. Ele devia ficar pelos paraísos onde anda e, se isto é tão mau, que não regresse. A Pátria não necessita de TRAIDORES.

 



publicado por DD às 10:25
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
17
18
19
20

23
24
25
26
27
29

30


posts recentes

Dívida Pública: Acordo BE...

Suicídio da Europa segund...

Marcelo Condecora Soares ...

Comissária Desconhecida q...

Produção de Automóveis

Défice de 2%

IMPOSTOS

Cronologia da PT deturpad...

Schäuble quer Dominar a E...

Euro ou "Bitcoins" Portug...

arquivos

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2004

Maio 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds