Jornal Socialista, Democrático e Independente dirigido por Dieter Dellinger, Diogo Sotto Maior e outros colaboradores.
Quarta-feira, 25 de Abril de 2007
Opinião de Dieter Dellinger: O 25 de Abril

           

 Há 33 anos, numa madrugada inesperada, a liberdade surgiu de um cano de G-3 com uma cravo vermelho implantado. Muitos julgaram que se tratava de um pequeno intervalo entre duas ditaduras e escreviam nas paredes “pedimos desculpa por esta interrupção, a ditadura segue dentro de momentos”.           

            Afinal, muitos estavam enganados, a Liberdade com L grande veio para ficar e Portugal é outro, mais desenvolvido com um nível de vida bem superior e até com este fenómeno novo: em vez de emigrarem mais de dois milhões de portugueses como na década de sessenta, retornaram 700 mil portugueses das colónias e mais de meio milhão de cidadãos das mais diversas proveniências vieram trabalhar para Portugal. A integração dos retornados foi feita pacificamente como pacífica é a presença de tantos estrangeiros.

            Portugal tem hoje uma maioria parlamentar e um presidente eleitos pelos portugueses na mais completa das liberdades e sujeitos a todas as críticas livres. Recordemos que Salazar nunca consentiu em eleições livres e criminalizou-se face às suas próprias leis ao organizar eleições sempre fraudulentas.

            Portugal é mais desenvolvido e está bem inserido numa Europa próspera, pacífica e democrática, mas vive num mundo que não pára em que tudo está em permanente mutação a carecer de um esforço tremendo para se adaptar a tanta coisa nova que surgiu nestes últimos trinta e três anos. Nenhuma construção humana é definitiva e nenhum de nós está aqui para sempre.

            Os portugueses criaram, sem dúvida, uma sociedade democrática que proporciona a escola para todos, os cuidados de saúde para todos e uma razoável segurança social, além de terem muitos mais empregos que antes, mas ninguém é perfeito; os alunos são melhores ou piores como os profissionais de qualquer sector, pelo que as instituições e empresas vão tendo o seu ciclo existencial e muitas não conseguem acompanhar os progressos e transformações vindas de fora. Cada um é como é e só muito lentamente é que se vão fazendo adaptações a realidades que surgem repentinamente.

            Portugal não tem ainda uma economia tão próspera como a que todos gostariam de ter, mas no essencial nada falta e as estatísticas estão aí para o provar e os olhos para ver. Recorde-se que o grande objectivo do Governo Putin da poderosa Federação Russa era atingir o rendimento per capita dos portugueses e ainda não conseguiu apesar da valorização das suas imensas riquezas em petróleo, gás natural e minérios. Portugal não foi bafejado pela natureza com qualquer riqueza em especial.

 Para 2,8 milhões de famílias há 5,6 milhões de habitações, mais de 2 mil quilómetros de auto-estradas, o que significa o máximo europeu em termos proporcionais à superfície do País. Com Alqueva, Portugal ficou com a maior área líquida artificial do Mundo relativamente também aos seus parcos 92 mil quilómetros quadrados de superfície. Em termos de camas hospitalares, médicos por habitantes, alunos por professor, automóveis por habitantes, telemóveis, computadores, aparelhagem electrodoméstica em casa, consumos de bens alimentares e de vestuários, etc., Portugal está perfeitamente a par dos países com melhor nível de vida europeu.

            Enfim, com um PIB que será, se o é, de 75% da média europeia fizeram-se milagres e conseguiu-se mesmo estar, segundo a Organização Mundial de Saúde, entre os países com os melhores indicadores de saúde do Globo.

            A 25 de Abril de 1974, quase um milhão de portugueses vivia em barracas imundas. E aí estão por todo o País, milhares de bairros sociais que substituíram centenas de milhares de barracas. Foi no bem mais caro e mais difícil de obter, a casa,  que se concentrou o esforço público, essencialmente na habitação social e no apoio ao crédito jovem para aquisição de casa própria.

            Enfim, o País não é um Paraíso, o desenvolvimento democrático é uma construção permanente porque a lei da vida está sempre presente, uns dão lugares a outros e muito do que serviu até agora já não serve, carece de substituição, reorganização ou modernização. E resolvido um problema, este passou ao esquecimento, surgindo situações novas e sempre problemáticas.

Mas, enfim, valeu a pena a Revolução dos Cravos e valeram a pena estes 33 anos de democracia.

  



publicado por DD às 10:08
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

27
28


posts recentes

Euro ou "Bitcoins" Portug...

Mário Centeno: O que caus...

Faaleceru o HOMEM da Libe...

Paulo Silva – O Caçador d...

A Europa tem Medo dos Muç...

Dieter Dellinger: Estalin...

Dieter Dellinger: Portuga...

Dieter Dellinger: A Obesi...

Trump vai nomear um Gover...

Dieter Dellinger copiou: ...

arquivos

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2004

Maio 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds