Jornal Socialista, Democrático e Independente dirigido por Dieter Dellinger, Diogo Sotto Maior e outros colaboradores.
Domingo, 15 de Fevereiro de 2009
O que diz Manuela

Diz Manuela Ferreira Leite:

“O responsável pela evolução do desemprego e da crise económica» é José Sócrates, «que não ouve ninguém e que entende que numa situação que ele próprio classifica de nova é só ele que sabe o que deve ser feito», disse a líder social-democrata, num jantar/comício em Coimbra.”

Coitada da senhora, está mesmo muito mal da cabeça.

Então Sócrates o culpado da maior e mais globalizante crise que a Humanidade alguma vez conheceu. Provavelmente também culpado da gigantesca crise em Espanha, Inglaterra, Alemanha, etc.

Todos os países com melhores níveis de crescimento ou piores estão em crise, incluindo o país exemplo para o PSD, a Irlanda.

Nestes quatro anos, o governo Sócrates fez muito e pode dizer-se que cresceram apenas os sectores impulsionados pelo Governo como as energias eólicas com as novas fábricas de equipamentos e outras como a Efacec e Martinfer que aproveitaram bem os bons ventos proporcionados pela política de energia ambiental. Até mesmo o aumento em 85% das vendas dos portáteis em 2008 se deve ao impulso dado por Sócrates nas novas tecnologias com o Magalhães que levou os portugueses a adquirirem num só ano 1,4 milhões de computadores portáteis, o que mostra que há sempre mercado desde que haja entusiasmo, preços razoáveis e algumas novidades técnicas.

Antes da crise, a economia portuguesa cresceu 0,9% em 2005, 1,4% em 2006 e 1,9% em 2007 para cair em 2008 por via da crise.

Qualquer crescimento português tem um significado maior que o de muitos países por quase não ter havido crescimento demográfico. Assim, para os inimigos do 25 de Abril: nos últimos trinta anos, Portugal foi o oitavo país do Mundo que teve o maior crescimento per capita apesar de em volume global a economia não ter crescido tanto assim e isto pelo referido facto de a população ter-se mantido mais ou menos constante.

Mas, é evidente que MFL não tem soluções para a crise e, talvez, nenhum político do Mundo terá. Ela fala uns impostos e pagamento por conta como paliativo para a crise e no apoio às Micro e PMEs e não sabe que os Estados também podem falir, arrastando consigo grande parte das economias, pelo que o governo Sócrates está a tomar medidas enérgicas mas prudentes.

Cuidado com esses pacotes de milhões de milhões. Os Estados podem vir a encontrar-se numa situação de insolvência ou incapacidade para pagar o serviço das dívidas públicas contraídas. Os primeiros pacotes americanos, ingleses, francês e alemães gastaram-se num ápice sem provocarem qualquer melhoria. Podem talvez impedido algo de pior, mas nada salvaram. Os governos podem ser tentados em avançar com mais e mais pacotes até à falência total de todos.

As empresas têm de se esforçar e não limitarem-se a despedir. A OCDE fala em 200 a 300 milhões de despedimentos no Mundo, muitos dos quais vão aumentar desmesuradamente as despesas dos Estados que mantêm sistemas de Segurança Social, o que não acontece no maior país do Mundo, a China, que consegue ser simultaneamente capitalista e comunista. Para já, alia o pior dos dois modelos económicos.

Marcelo Rebelo de Sousa foi hoje esclarecedor acerca do BPN ao dizer que se tivesse havido intervenção estatal e aquilo tivesse ido à falência como pretende agora o Portas, teria havido uma corrida dos depositantes aos bancos com o total descalabro do sistema financeiro e a falências em cadeia. Teríamos agora bem mais um milhão de desempregados.

 

Diogo Sotto Maior

 



publicado por DD às 22:58
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Cronologia da PT deturpad...

Schäuble quer Dominar a E...

Euro ou "Bitcoins" Portug...

Mário Centeno: O que caus...

Faleceu o HOMEM da Liberd...

Paulo Silva – O Caçador d...

A Europa tem Medo dos Muç...

Dieter Dellinger: Estalin...

Dieter Dellinger: Portuga...

Dieter Dellinger: A Obesi...

arquivos

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2004

Maio 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds