Jornal Socialista, Democrático e Independente dirigido por Dieter Dellinger, Diogo Sotto Maior e outros colaboradores.
Sábado, 15 de Outubro de 2005
Novas Silhuetas para a Armada - Se?
USS Sides -2.bmp



Fragata USS FFG-14 "Sides" da Classe "Oliver Hazard Perry".



O Chefe de Estado Maior da Armada, almirante Vidal Abreu, falou recentemente na necessidade de aproveitar a "irrepetível" oferta dos EUA de venda de duas fragatas a um preço extremamente barato para substituir as actuais e já velhas fragatas da classe "Comandante João Belo".



Não sendo propriamente novas, as fragatas FFG 12 “George Philip” e FFG 14 “Sides” que podem ser incorporadas na Armada, são navios muito modernos que darão outro visual à marinha de guerra nacional e um notável poder de combate pois vão substituir as mais que obsoletas “Comandante João Belo”.



As fragatas foram oferecidas a 150 milhões de dólares, um preço de favor que talvez tenha a ver com a gratidão dos EUA relativamente ao apoio dado pelo anterior Governo Português à intervenção no Iraque. São da classe “Oliver Hazard Perry”, uma das mais numerosas da marinha norte-americana com 51 unidades sob o pavilhão americano e mais umas tantas construídas por países aliados como a Espanha, Austrália e Taiwan. Acrescente-se, todavia, que carecem de ser repostas em funcionamento e remuniciadas e reequipadas com novos motores ou com motores recondicionados, o que elevará o preço para mais do dobro. Mesmo assim, ainda serão baratas se compararmos com o custo de navios novos. Resta saber é como o Governo actual vai encontrar a verba necessária sem aumentar o défice das contas públicas.



As duas unidades de um grupo de três que o governo PSD/PP se comprometeu a adquirir podem vir a ser os maiores navios da marinha portuguesa, já que ultrapassam em tamanho as Meko 200 da classe “Vasco da Gama”, 124,4 metros de comprimento contra 115,9 por 14,5 contra 14,8 e 4,4 contra 5,97 m, além de 2648 / 3486 toneladas de deslocamento mínimo e máximo contra 2920 / 3200 das “Vasco da Gama”.



A FFG 12 “George Philip” foi incorporada na US Navy a 18.01.80 e FFG 14 “Sides” a 30.05.81, mas estão desde os anos noventa fora de serviço na reserva, podendo vir a ter um tempo de serviço na Armada de mais de dez anos.



Fundamentalmente, as “Oliver Hazard Perry” de “short hull”, casco curto, como são designadas para as diferenciar de outras mais recentes com 135,7 m de comprimento, são navios à americana, isto é, com mais tonelagem e mais casco que armamento e maquinaria. Diz-se isso por possuírem um único lançador de mísseis do tipo Mk 13 para lançar a dotação máxima de 40 mísseis SM-1 SAM (anti-aéreos) e “Harpoon” SSM (anti-navios) e uma única peça de artilharia, o famoso canhão italiano Oto Melara de 76 mm, completada com um sistema “Vulcan-Phalanx” de combate a curta distância contra mísseis ou aviões. Além disso estão equipadas com 12 tubos lança-torpedos anti-submarinos Mk 32 de 12,75 polegadas.



O sistema propulsor é constituído por duas turbinas a gás LM 2500 GE de 40 mil cavalos-vapor ligadas a um único veio e hélice, permitindo uma velocidade máxima de 28,5 nós e 4.500 milhas de navegação a 20 nós. Estas turbinas têm a vantagem de serem iguais às das fragatas “Vasco da Gama”, mas falta um motor diesel para uma navegação mais económica de cruzeiro. Não são navios de patrulha, mas para isso estão implementadas outras soluções para a Marinha de Guerra.



Em caso de avaria das turbinas, há dois motores retractáveis de 325 cavalos que permitem a navegação de emergência a 6 nós.



As “Oliver Perry” possuem um elevado grau de redundância, nomeadamente dois sistemas de controlo de fogo, dois radares de pilotagem bem separadas e muita mais duplicação pouco apreciada em tempos de paz, mas bem útil em operações militares.



O sonar de casco SQS-56 é muito limitado, sendo de feixe directo, mas em compensação levam um sonar rebocado SQR-19 de maior alcance a ser eventualmente completado por um sonar hélio-transportado.



A FFG 12 e a FFG 14 foram concebidas para levarem dois helicópteros “Lamps III”, mas de facto não levam mais que um, pois falta-lhes para efeito algum equipamento que só apareceu a partir das fragatas FFG 36 de casco mais longo. Mesmo assim, possuem um excelente hangar que deverá dar para um hélio do tipo do “Lynx” das “Vasco da Gama”.



O casco é de alumínio com liga especial de 19 mm na zona dos mísseis e de aço de 16 mm no envolvimento da casa das máquinas.



Sendo navios aparentemente ligeiros e pouco protegidos, a realidade é que uma fragata igual às que vêm para a Armada, a FFG 31 “Stark” sobreviveu ao impacto de dois mísseis “Exocet” verificado a 17.05.87 e lançados por engano por um “Mirage F-1” iraquiano no decurso da guerra entre o Iraque e o Irão e que causou a morte de 37 membros da guarnição da “Stark”.



A FFG 31 estava então no Golfo Pérsico, a menos de 100 milhas das costas do Irão, numa zona frequentemente atacada pelos jactos iraquianos para impedir as exportações petrolíferas do país do Ayatola Komeni. A 12 milhas de distância e a 5 mil pés de altitude, o “Mirage F-1” iraquiano disparou o primeiro “Exocet” que à velocidade de 900 km por hora atingiu o casco por baixo da ponte de comando sem que no navio americano tivesse havido tempo para pôr a funcionar o sistema “Vulcan-Phalanx” que estava no modo operativo manual. A ogiva explodiu em plena camarata da guarnição, fazendo com que muitos marinheiros tivessem sido projectados para o mar pelo enorme buraco aberto pelo míssil. As chamas desenvolveram-se através de parte da estrutura de alumínio e atingiram a central de combate e, como tal, paralisaram toda a capacidade combativa do navio. O míssil foi visto da ponte 10 segundos antes e poucos segundos depois da explosão do primeiro míssil verificou-se o segundo impacto na super-estrutura. Deste segundo “Exocet”, a ogiva não explodiu, mas o carburante não consumido do motor foguete provocou um incêndio enorme.



Posteriormente, os americanos disseram que o sistema “Vulcan-Phalanx” estava avariado com um defeito no computador, mas a realidade deverá ser que o ataque não era esperado ou que, talvez, contra este tipo de ataque a defesa não seja possível. Nessa época, Sadam Hussein era considerado “amigo” dos americanos e comprava armas e munições a todos os países do Ocidente, incluindo a Portugal que também fornecia o Irão.



Fundamentalmente, as “Oliver H. Perry” são actualmente escoltadores oceânicos anti-aéreos com alguma capacidade anti-navio e anti-submarina. Foram a dada altura consideradas excedentários na marinha norte-americana e propostos para venda a vários países aliados, mas posteriormente, a US “Navy” reconsiderou e voltou a valorizar estes navios como indispensáveis para o combate mundial ao terrorismo e a eventuais países que o apoiam. Permitem multiplicar a presença norte-americana em muitos locais do globo, considerando que o número de países altamente equipados com sistemas como a dupla “Mirage F-1 – Exocet” tende a diminuir dado o seu alto custo e a URSS não existe mais para fornecer algum equipamento bélico a países pobres. A doutrina táctica de utilização deixou de ser de escolta oceânica para passar a ser de patrulhamento anti-aéreo e anti-navio em zonas mais ou menos costeiras e, nesse aspecto, estariam perfeitamente adequadas às missões da marinha portuguesa.



Acrescente-se que os meios bélicos que Portugal pode vir a dispor são muito discutidos por comentadores e políticos, dado ser considerados como desnecessários para a defesa nacional por serem insuficientes contra alguma nação poderosa e por não se vislumbrar no horizonte qualquer perigo de guerra.



Contudo, as nações europeias, incluindo as pequenas, querem ser participantes activas num esforço comum de defesa, o qual, por existir, afasta qualquer perigo de guerra. E, de resto, há dois Séculos que as guerras são ganhas sempre pelos mesmos, os chamados Aliados, que além de derrotarem Napoleão e a Alemanha do kaiser e de Hitler, derrotaram a URSS na guerra virtual que se chamou de fria. A poderosa aliança Nato afastou o perigo de guerra da Europa durante o mais de meio Século da sua existência e continuará a fazê-lo no futuro.







publicado por DD às 20:01
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Cronologia da PT deturpad...

Schäuble quer Dominar a E...

Euro ou "Bitcoins" Portug...

Mário Centeno: O que caus...

Faleceu o HOMEM da Liberd...

Paulo Silva – O Caçador d...

A Europa tem Medo dos Muç...

Dieter Dellinger: Estalin...

Dieter Dellinger: Portuga...

Dieter Dellinger: A Obesi...

arquivos

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2004

Maio 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds