Jornal Socialista, Democrático e Independente dirigido por Dieter Dellinger, Diogo Sotto Maior e outros colaboradores.
Segunda-feira, 11 de Abril de 2011
Fernando Nobre - O Egopata

 

 

 

             Fernando Nobre é, sem dúvida, um egopata, sofre de uma doença do seu ego que acha que não é reconhecida na sua plena grandeza.

 

            O reconhecimento que lhe foi dado pelo trabalho na AMI não chegou e, como tal, pretendeu ser alguém de muito importante na política, de preferência Presidente da República nos últimos tempos.

 

            Mas, Nobre já foi monárquico numa espécie de Conselho de Estado do Duque de Bragança conhecido por Conselho Democrático ou algo de semelhante que pretendia mudar a atual Constituição da República para ser qualquer coisa como Constituição do Estrado Democrático Português. Depois tentou encostar-se ao PS sem êxito e foi mandatário do Bloco de Esquerda nas eleições para o Parlamento Europeu.

 

            Por fim, julgou que chegou a sua hora e candidatou-se à Presidência da República com um pequeno empurrão de Mário Soares que não quer ver Manuel Alegre em Belém. Nobre pretendeu arregimentar os descontentes com os partidos políticos, principalmente os dois do arco governamental, o PS e o PSD. Falou de cidadania como se ser militante de um partido político não fosse uma manifestação de cidadania, já que qualquer um entra ou sai de um partido político e no seu interior tem poder de voto para apoiar candidatos ou ser mesmo candidato.

 

            Mas, enfim, Nobre deu entender que os partidos são uma espécie de máfia, ofendendo gravemente centenas de milhares de militantes, dos quais mais de 50 mil prestam serviços na Juntas e Assembleias de Freguesia praticamente a título gracioso. 

    

            Eis que, depois disto tudo, aparece o seu nome como cabeça de lista por Lisboa de um dos “detestados” partidos políticos, o PSD, com a garantia que em caso de vitória seria Presidente da Assembleia da República.

 

            Para um homem que estava contra os partidos políticos não está mal. O Presidente da AR é um verdadeiro servidor dos partidos políticos representados na AR. Obedece à agenda determinada pela conferência dos líderes dos diferentes grupos parlamentares e lá em cima no alto cadeirão limita-se a dar a palavra aos deputados ou membros do governo e dizer “terminou o seu temnpo senhor deputado ou ministro” e anunciar os resultados das diferentes eleições, acolitado por quatro secretários. Além disso, tem a seu cargo a administração dos serviços da AR.

 

            Nobre não é jurista e não possui qualquer experiência como deputado ou política em geral, o que não o recomenda para presidente da AR. Em caso de disputa muito acesa não saberá como acalmar os ânimos porque lhe falta o conhecimento jurídico e, como simples deputado, se o PSD não ganhar por maioria absoluta, a sua independência e dita cidadania pouco ou nenhum valor terá aí o que conta é o partido que dá ordens ao grupo parlamentar.

 

           Nobre, apesar do seu passado, não é um homem de carácter em termos políticos. Não sabe o que quer e não tem uma ideia clara dos problemas do País; demonstrou isso na sua campanha presidencial e nunca pode permanecer firme nas suas convicções por as não ter.

 

           O PSD julga que ao meter Nobre nas suas listas vai buscar os 14% de votos que obteve, mas é errado. Basta ler os diversos sites e blogs para ver que os votos não são transponíveis como, de resto, o sciólogo Boaventura Sousa Santos salientou hoje na TSF. Ninguém vai votar numa lista de mais de 50 deputados por Lisboa só por causa do primeiro nome.



publicado por DD às 14:31
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Os Fogos em Portugal

Portugal em Forma e Antón...

O "Crime" da EDP

Dieter Dellinger: BOAS NO...

Dívida Pública: Acordo BE...

Suicídio da Europa segund...

Marcelo Condecora Soares ...

Comissária Desconhecida q...

Produção de Automóveis

Défice de 2%

arquivos

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2004

Maio 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds