Jornal Socialista, Democrático e Independente dirigido por Dieter Dellinger, Diogo Sotto Maior e outros colaboradores.
Terça-feira, 11 de Setembro de 2012
Austeridade Suicida com o Fim da UE

 

 

A ideia que a política de fomento de Sócrates é a causa da necessidade de uma austeridade suicida é completamente errada.

Primeiro porque as políticas de fomento foram impulsionadas pela União Europeia, já no governo de Cavaco, seguidas pelo de Guterres e depois de Sócrates.

A quota paga por Portugal à UE só regressa em termos de políticas de fomento infra-estrutural. Segundo os estatutos da UE os dinheiros de Bruxelas não permitem pagar despesas gerais e ordinárias como ordenados, pensões, etc.

Cavaco lançou a primeira e a maior PPP que foi a Ponte Vasco da Gama com a exploração e alargamento da ponte 25 de Abril, na qual se colocou o comboio.

A UE provocou a política de obras públicas, aceitou a entrada de Portugal no Euro e hoje retirou-se das suas responsabilidades, não deixando o BCE emitir moeda para colocar as economias a produzirem riqueza e não a criarem o desemprego.

Saliente-se que UE não permitia o fomento industrial, agrícola e piscatório. Antes pelo contrário, pagou para se produzir menos. Assim, a UE não deixou o Estado investir em novo alto forno na Siderurgia Nacional e fez uma entrega monetária para que não se reconstrua o alto forno, ficando a SN a produzir algum ferro a partir de dois fornos elétricos muito pequenos e a fazer corte de chapa e ferro importados.

Qualquer manual de Macroeconomia ensina-nos que o crescimento económico implica o aumento dos agregados monetários contidos no M3 e de capital investido a longo prazo. Isso consegue-se com muitas exportações, mas praticamente só há dois grandes exportadores no Mundo, a China e a Alemanha. O Japão ainda é exportador, mas já não tanto e possui um vasto império empresarial espalhado pelo Mundo que lhe proporciona rendimentos apreciáveis. A Coreia do Sul é um exportador equilibrado. Os restantes países do Mundo exportam mais ou menos ao mesmo tempo que importam bastante. O Brasil, a Argentina, os EUA, o Canadá dependem muito da cotação das matérias primas que exportam e umas vezes estão nos píncaros e outras vezes nas profundezas dos infernos.

A austeridade imposta a Portugal pela troika é suicida e irrecuperável porque o País não pode ir aos mercados a partir de 2014 para fomentar a produção agrícola e industrial. Algumas empresas exportadoras podem crescer se ganharem dinheiro suficiente, o que é cada vez mais difícil na atual conjuntura em que já a China e a Alemanha deixaram de ver as suas exportações a crescer.

Mário Draghi do BCE percebeu isso e quer emitir moeda para comprar títulos de tesouro em segunda mão e vencerem no prazo máximo de três anos. Enfrenta uma oposição feroz da Alemanha, já nem centrada na Merkel, mas no partido liberal e na ala mais conservadora da Democracia dita Cristã ao mesmo tempo que enfrenta também no seio do seu partido uma forte oposição às medidas de austeridade já assumidas desde há anos.

Os alemães descobriram agora não vão ter reformas. Quem tiver ganho um ordenado médio de 1.800 euros nos próximos 40 anos terá uma reforma de 400 euros e quem recebeu uma média de 3.600 euros terá uns 800 euros. Para receber uma reforma de mil euros torna-se necessário ganhar durante os referidos 40 anos cerca de 4.000 euros de média mensal global. Por outro lado, os fundos privados perderam em média mais de 80% do seu valor.

A não emissão de moeda, levou a uma queda brutal do valor de todos os ativos europeus, ou mesmo, de todos os bens e serviços, o que levou a troika a querer que os baixíssimos salários portugueses descessem ainda mais e o capital visse o custo do trabalho reduzido numa pequena percentagem. Curiosamente, ao capital isso não lhe agrada porque sabe que paga pouco e sem clientes solventes não vai a parte alguma. E que interesse têm os bancos que emitem ações a 4 cêntimos como está a fazer o BCP-Millenium. O governo quer taxar as casas que valem mais de um milhão de euros. Quantas são? Alguma dúzia. Nem o Estado, nem o Capital e, menos ainda, o Trabalho resolvem seja o que for com a queda de todos os valores traduzíveis em moeda.

    O Euro é a moeda de 330 milhões de habitantes e há uma grande responsabilidade da parte do BCE e dos países da zona euro no seu conjunto. As previsões apontam para um crescimento zero ou negativo da mais próspera economia europeia este ano, a alemã, e crescimentos negativos em quase todas as outras. O Euro é de todos e tem de servir todas as economias. Não podemos chegar a 2014, um século depois de iniciada a I. Guerra Mundial, com uma Europa totalmente destruída pela guerra alemã do Euro.

As recentes manifestações em Barcelona apontam para uma declaração de independência da Catalunha que pode levar a uma guerra civil porque as Forças Armadas Espanholas não querem independências regionais. Não devemos esquecer que a Guerra Civil Espanhola foi o prólogo da II. Guerra Mundial. Começou em 1936 e acabou precisamente em 1939, ano em que começou a referida guerra mundial



publicado por DD às 23:29
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Cronologia da PT deturpad...

Schäuble quer Dominar a E...

Euro ou "Bitcoins" Portug...

Mário Centeno: O que caus...

Faleceu o HOMEM da Liberd...

Paulo Silva – O Caçador d...

A Europa tem Medo dos Muç...

Dieter Dellinger: Estalin...

Dieter Dellinger: Portuga...

Dieter Dellinger: A Obesi...

arquivos

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2004

Maio 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds