Jornal Socialista, Democrático e Independente dirigido por Dieter Dellinger, Diogo Sotto Maior e outros colaboradores.

Segunda-feira, 22 de Abril de 2013
Os Pobres Alemães

 

 

 

 

 

O Banco Central Europeu publicou um estudo em que pretende demonstrar que as famílias alemãs são as mais pobres da Europa porque possuem menos bens que as do Sul da Europa. Em termos de mediana, na Alemanha há tantas famílias com mais de 51.400 euros como famílias com menos que isso, o que não quer dizer muito, mas as médias também não. Em Portugal, esse valor será de 75.200 euros, na Espanha de 182.700, na Itália de 173.500, na Grécia de 101.900 e no Chipre de 265.900. Apenas as famílias do Luxemburgo é que possuem mais, isto é, 397.800 de mediana.

 

O Estudo saiu sem que o vice-governador do BCE, o dr.Vitor Constância, explicasse em público as diferenças e o significado.

 

A revista alemão “Der Spiegel” publicou o trabalho num artigo em que deu algumas explicações, mas tirou a mesma conclusão que a fortuna dos lares alemães é menor que as dos países endividados do Sul da Europa, Portugal, Espanha, Itália, Grécia e Chipre. O efeito do artigo é devastador no momento em que o governo da Merkel anuncia que as suas contas públicas apresentaram um défice de 0%, sendo equilibradas.

 

Quanto à fortuna dos lares, o que mais conta é a propriedade da casa; o BCE utilizou valores de 2008 a 2010 e não considerou matematicamente a diferença entre valores pagos pelas casas e em dívida, nem as pequenas heranças que muita gente recebeu no Sul da Europa, nomeadamente em Portugal. Na revista alemã é dito que um terço dos lares espanhóis vivem em casas a pagar prestação e nada é dito sobre Portugal que tem cerca de 1,5 milhões de famílias a pagarem as suas casas em prazos que vão de 20 a 30 anos, o mesmo se pode dizer dos automóveis e até do mobiliário, eletrodomésticos.

 

Ao contrário disso, as famílias alemãs vivem predominantemente em casas alugadas e só agora é que começam a comprar porque admitem que o euro possa perder valor no futuro.

 

A realidade é que os alemães ganham duas a cinco vezes mais que os trabalhadores do Sul da Europa e fazem férias no estrangeiro em média mais de uma vez por ano e frequentemente três vezes. Os portugueses só começaram a viajar um pouco mais com o Euro; antes viviam para pagar as já referidas prestações.

 

Os alemães gastam muito mais em carros de grande potência e pagam rendas elevadas e possuem em geral um seguro de renda de casa associado à reforma. Ambos tendem a diminuir, daí a inveja alemã relativamente aos “ricos” proprietários de pequenos e modestos apartamentos ou de casinhas na aldeia deixadas pelos pais e avós. Além disso, portugueses, espanhóis e gregos possuem em maior quantidade segundas casas quando finlandeses, suecos e noruegueses possuem umas barracas de madeira junto a lagos quase sempre gelados.

 

Salientemos que milhões de portugueses foram trabalhar em França, Alemanha, etc., onde fizeram uma vida poupada ao máximo e amealharam uns dinheiros para construírem a moradia revestidas de azulejos na aldeia.

 

Por outro lado, os portugueses, por exemplo, não fizeram tantas asneiras ao meterem-se em guerras que deram cabo dos bens dos avós. As cidades alemãs destruídas, a introdução do marco alemão em substituição do antigo em 1948, eliminando todas as poupanças monetárias. Todos os cidadãos receberam uma mesma quantia e já em 1922/23, a gigantesca inflação resultante das dívidas da I. Guerra Mundial deu cabo das poupanças de todos os alemães, incluindo pequenos pacotes de ações e alguns bens imobiliários.

 

Enfim, o BCE com a divulgação dada pela revista “Der Spiegel” fez uma autêntica declaração de guerra ao Sul da Europa e criou uma espécie de início de holocausto anti-sul, mas financeiro.

 

Os alemães não querem ver o BCE emitir moeda e o novo partido nazi, o “Partido para a Alemanha” já não defende a saída dos alemães do euro, mas sim a expulsão de Portugal, Espanha, Itália, Grécia e Chipre.

 

Ao ler a revista “Der Spiegel” fiquei convencido que esta guerra é mesmo a sério e que não solução que não seja igualmente brutal como querem os alemães. Juntar-se o Sul da Europa e suspender todos os pagamentos de dívida ao exterior. Os prejuízos seriam demasiado elevados para que o BCE não venha a ter juízo.  

 

 

 

 



publicado por DD às 22:45
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
27
28
29

30
31


posts recentes

Os Pobres Alemães

arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2004

Maio 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds