Jornal Socialista, Democrático e Independente dirigido por Dieter Dellinger, Diogo Sotto Maior e outros colaboradores.

Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2017
Mário Centeno: O que causa a RAIVA da Cristas e do Coelho

 

O ministro das Finanças assegurou esta quarta-feira que o défice orçamental de 2016 não será superior a 2,1% do PIB. Mário Centeno considera que os indicadores mais recentes da economia são "alicerces mais sólidos" e que ajudam à "saúde das contas públicas".

"O défice em 2016 será o mais baixo da história da nossa democracia e não será superior a 2,1%", disse o ministro esta quarta-feira na comissão parlamentar de Orçamento, Finança...s e Modernização Administrativa, onde está a ser ouvido.

Depois de citar os números economia portuguesa divulgados na terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que dão conta de um crescimento médio do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,4% em 2016, o ministro afirmou que "Portugal possui hoje alicerces mais sólidos para garantir um crescimento económico sustentado e equitativo, mas também pela saúde das contas públicas".

Centeno afirmou que as medidas tidas como extraordinárias, ou seja, o Programa Especial de Redução do Endividamento ao Estado (PERES), "apenas melhorarão a meta orçamental estabelecida pelo Governo, que era de 2,4%", ligeiramente abaixo do objectivo de 2,5% definido pela Comissão Europeia aquando do encerramento do processo de sanções.

"Quando me refiro ao facto de a economia portuguesa estar hoje no ponto mais sólido desde que aderimos ao euro apoio-me em resultados: crescimento económico, investimento, geração de emprego, solidez nas contas públicas, mas queremos mais e vamos conseguir mais", disse. Dessa forma, o ministro assegurou que, "graças à correcção sustentável e durável das contas públicas, Portugal vai, finalmente, sair do Procedimento por Défices Excessivos".

Durante a sua intervenção inicial, destacou ainda um conjunto de indicadores para suportar o entendimento de que a economia portuguesa "está hoje mais sólida". "O índice de confiança dos consumidores está em máximos de 17 anos", que o crescimento "está cada vez mais assente" no investimento e nas exportações e que "o desemprego está em mínimos desde 2009".

Para contrariar isto como querem os traidores à Pátria Cristas e Coelho não há SMSs que valhem.



publicado por DD às 14:16
link do post | comentar | favorito (1)
|

Domingo, 18 de Dezembro de 2016
Dieter Dellinger: A Obesidade Mata mais que a Fome no Mundo

Cuidado com o Natal
Segundo as estatísticas mundiais, a obesidade mata mais que a fome devido às doenças que provoca como cardiovasculares, diabetes, etc.
A obesidade crescente é doença dos países ricos e até emergentes que erradicaram muitas doenças dos países pobres e do mundo em geral como a peste, tuberculose, tifo, sífilis, varíola e gripe. Esta última ataca ainda bastante as pessoas idosas.
Vacinas, antibióticos e higiene eliminaram muitos agentes patogénicos, permitin...do a explosão populacional apesar da queda da natalidade. Em 1800, uma em cada três crianças morria muito cedo, os adolescentes e jovens estavam sujeitos a todo o tipo de doenças singulares e pandemias.
Cada vez mais se morre de doenças degenerativas (Alzheimer, etc.) e sofre-se nas idades avançadas de problemas degenerativos como osteoporose, degenerescência macular, modo de vida com ateroscleroses locais e generalizadas, etc.
Mark Zuckerberg criou com mais de mil milhões de dólares uma fundação que tem por objetivo erradicar todas as doenças mortais, só para chatear bestas políticas como Medina Carreira e aquele deputado que considera a velhice como uma "peste grisalha" e quem o censurou foi condenado pela justiça como se estivéssemos numa ditadura.

fascista



publicado por DD às 18:11
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 16 de Dezembro de 2016
Trump vai nomear um Governo de Multimilionários com Património superior a um Terço das Famílias Americanas

 

De acordo com dados estatísticos da Reserva Federal Americana publicados na folha económica "Quartz", os 17 membros do governo de Donald Trump possuem um somatório patrimonial superior a um terço dos norte-americanos, ou seja, às 43 milhões de famílias mais pobres dos EUA, portanto um terço das 126 milhões de famílias registadas fiscalmente nos EUA, das quais 13% têm património zero a negativo.

Nunca na história americana e, talvez, da Humanidade, o capital através dos seus verdadeiros detentores ocupou o poder de uma forma tão descarada.

Tradicionalmente, o capital utilizava políticos organizados em partidos para satisfazerem os seus interesses, financiando as suas campanhas eleitorais ou comprando-os com bonificações corruptas. Mas, desta vez não há lugar a corrupção, são os multimilionários que estão em pessoa no poder e vão legislar e governar diretamente de acordo com os seus interesses sem terem de pagar nada a ninguém.

Os 15 biliões de dólares que possuem os membros do gabinete de Trump correspondem ao património de 130.000 famílias das classes médias dos EUA que é uma das nações com um dosrendimento nacionais mais elevados do Mundo.

Assim, há uma maioria de nações entre as 192 representadas na ONU que têm um Pib inferior ao dos 15 governantes centrais norte-americanos.

O em breve ex-presidente Obama praticamente não tem património e vai viver numa casa alugada pelo Estado com a pensão estatal para ex-presidentes Em compensação, Trump quer ganhar do Estado apenas 1 dólar por ano e é porque a legislação americana não autoriza que alguém trabalhe para o Estado sem salário. Provavelmente, o grande acionista e presidente do Conselho de Administração da maior empresa petrolífera do Mundo, a Exxson-Mobil também não vai querer mais de que um dólar anual de remuneração.

Parece que Trump não quer o novo avião presidencial encomendado à Boeing que deveria ser um Jumbo 747 até porque tem o seu próprio luxuoso Boeing 757 comprado em segunda mão a um dos principais donos da Microsoft.

As ações da Goldman Sachs têm estado a subir porque o poder vai ser ocupado por alguns dos seus maiores acionistas e clientes e saliente-se que a Reserva Federal aumento em 0,25% a taxa de juro diretora, pretendendo que chegue durante o próximo ano a 1,5 ou 1,75%. Os donos do dinheiro querem juros mais elevados, como é óbvio.

 



publicado por DD às 18:33
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 7 de Novembro de 2016
O PERIGOSO NEONAZISMO NA EUROPA

 

 

 

O neonazismo avança em quase toda a Europa por via dos partidos neonazis que se intitulam de populistas, mas que têm uma coisa em comum: são todos contra o “SISTEMA”, racistas e xenófobos.

Por “Sistema” entendem a democracia e os outros partidos, principalmente os de esquerda com todos os defeitos do Mundo. São defensores de partidos únicos ou permanentemente maioritários com alterações constitucionais como as verificadas na Polónia, Hungria e Russia. Claro, que os partidos nazis no passado representaram aquilo que há de mais monstruoso e pior na espécie humana e o simples facto de serem contra muito do que essencial na democracia torna os neonazis populistas e nacionalistas criminosos face às leis pacíficas das democracias pluralistas europeias e não só. Não querem a designação de neonazis, mas são na verdade, preferindo, contudo, serem populistas, mesmo em vez de nacionalistas, cujo nome esteve demasiado ligado aos fascistas e nazis do passado.

O neonazismo é o maior perigo que há para a democracia como para a União Europeia e países da Europa, mesmo sem união para não referir sequer o Euro. Mas, as ideias cabotinas populistas surgem porque a alguns falsos democratas as prepararam ou criaram o terreno adequado. Assim, a teimosa austeridade de Schaeuble e seguidores representam a porta aberta para o neonazismo, principalmente quando associadas à entrada de uma numerosa comunidade islâmica na Alemanha e em parte da Europa.

Os povos têm sempre medo das minorias quando alguém os convence que essas minorias vão destruir o corpo “são” da sociedade maioritária. Hitler chegou ao poder por causa da austeridade e do desemprego, convencendo muita gente que era tudo por causa dos judeus e hoje os neonazis dizem que a crescente divisão entre muitos ricos e pobres, empobrecendo as classes médias e os trabalhadores é devido aos estrangeiros.

No caso particular da Alemanha que já tinha sete milhões de turcos, a vinda de sírios e outros é desejada pelos detentores do capital como meio de reduzir os salários sem a necessidade premente de investir muito. Portanto, a direita cria um problema social e ao mesmo tempo procura combate-lo atirando trabalhadores nacionais ou emigrados há muito contra os novos emigrantes.

Daí terem surgido partidos neonazis em toda a Europa com exceção de Portugal, por enquanto.

Curiosamente, a nação com a melhor economia da Europa e mais exporta e mais tem crescido, a Alemanha, é aquela em que surgiram mais partidos neonazis, praticamente são quatro: o AfD (Alternativa para a Alemanha) que está representado em muitos parlamentos regionais e que apresenta 14% de intenções de votos em muitas sondagens. Apesar dos problemas tidos entre os dirigentes que levou já à formação de um segundo partido quase neonazi, menos radical, o ALFA (Aliança para uma Alemanha…).

O maior e mais antigo partido neonazi europeu é o “Front Populaire” de Marie Le Pen que pensa ganhar as próximas eleições presidenciais. Maior no sentido de fazer parte de uma grande nação europeia, porque há neonazis que já estão no poder e são:

 

Partido do Direito e Justiça que detém o poder na Polónia e domina cada vez mais todas as estruturas e meios de comunicação no país. O controlo dos meios de comunicação é a primeira ação de um partido neonazi e é aquilo que lhe vai garantir a permanência no poder e tornar as eleições em farsas.

Partidos Fidesz e Jobbisk que conseguiram uma maioria de dois terços no parlamento e, como tal, alteraram todas as leis democráticas e dominam também quase todos os meios de comunicação e qualquer possibilidade de financiamento de novos meios, além de terem instalado uma censura que pretendem ter copiado de Portugal, ou seja, da Alta Autoridade para a Comunicação Social, cuja missão é evitar a censura, mas sem conseguir que haja uma verdadeira pluralidade em Portugal porque aqui toda a comunicação é de direita.

Partido da Liberdade da Áustria que tem participado em coligações com os conservadores da direita, mas sem conseguir alterar o “sistema” (democracia), prtendendo agora mais poder pela via do ódio aos refugiados sírios e outros.

Partido Liga Norte da Itália é um fascismo que apoiou o palhaço Berlusconi e defende a separação do Norte da Itália do Sul, o que contraria a Constituição e pode levar as forças policiais e militares a intervirem antes de conseguirem esse objetivo.

Partido Popular Suíço dirigido por um milionário que pretende ser membro das elites e não das classes médias. Tem agitado contra a presença de estrangeiros, mas falhou sempre nos plebiscitos porque os suíços sabem que sem os estrangeiros toda a sua economia entrava em colapso.

Partido do Progresso da Noruega que também agita os noruegueses contra os estrangeiros, mas sem mão-de-obra vinda do exterior o país perdia também grandes setores da sua economia, incluindo as pescas.

Partido Democrata Sueco que, apesar do nome, é igualmente contra os estrangeiros e até o Estado Social.

Partido dos Finlandeses igualmente xenófobo e contrário ao “sistema”.

UKIP – Partido da Independência do Reino Unido, um feroz defensor da saída do RU da União Europeia e defensor da expulsão dos estrangeiros, incluindo o fim da sua entrada no sistema social britânico nos primeiros anos de estadia na Grã-Bretanha.

Partido Vlams Belang. Flamengos contra estrangeiros trabalhadores e redutor da União Europeia.

Partido da Liberdade da Holanda. Defende as liberdades dos holandeses contra os de fora e os chamados “excessos” do “sistema”.

Partido Eslovaco Nacionalista. Um típico partido neonazi que poderia ter governado o país nos tempos de Hitler ao serviço da “Nova Ordem Alemã”, a que começa a reinar na Europa e que governa o país com mão de ferro, proporcionando uma mão-de-obra extremamente barata às indústrias alemãs e de outros países como a Coreia do Sul no fabrico de automóveis e de muitos outros produtos. Não tem o Euro, pelo que a sua moeda desvalorizada e a quase ausência de Estado Social permite muita exportação na base de termos de troca altamente negativos para o país. Vende barato e compra caro.

Nunca devemos esquecer que o fascismo português da Ditadura Militar pós 28 de Maio de 1926 e Salazarismo com a constituição de 1933 fizeram parte de uma moda europeia em que tinham caído numerosos países europeus. A revolta militar do 28 de Maio dá-se enquanto em Espanha governava o ditador o general Primo de Rivera que dirigiu o país com apoio do Rei Afonso XII até 1930 e foi o pai do fundador do partido fascista “Falange Espanhola”. Com a sua queda, caiu também a monarquia e o rei, instalando-se a República Espanhola deposta por Franco

 



publicado por DD às 22:18
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 26 de Agosto de 2016
Dieter Dellinger: Emissões do BCE e Dívidas Públicas

 

 

O BCE emitiu já cerca de um bilião de euros entregues gratuitamente aos bancos centrais dos países da zona euro para adquirirem dívidas públicas, recebendo só respetivos juros para os devolverem no ano seguinte aos proprietários dos bancos centrais, os respetivos Estados.

Estas emissões levaram já a uma queda brutal dos juros pagos pelos diferentes Estados pelas suas dívidas, ficando dois países relativamente de fora, ou seja, o mais necessitado, a Grécia, e Portugal. No caso português é porque o governador do Banco de Portugal fica com o dinheiro recebido do BCE e não está a comprar dívida portuguesa. Diz que necessita de fazer provisões e pretende provisionar este ano mais de mil milhões de euros, tendo já feito com 480 milhões que deveriam ter sido entregues ao Estado. É o único governador de um banco central europeu a fazê-lo.

Na política monetária os governadores dos bancos centrais dos países e do BCE têm uma certa independência, mas tal como acontece com os magistrados, não é para fazerem política e tudo o que lhes apetece.

O governador do BP está a fazer política anti-PS/PCP/BE tal como o Carlos Alexandre no caso Sócrates faz política anti-PS e no caso BES/GES faz política favorável á direita capitalista pura.

O programa “Quantitative Easing” foi elaborado por Draghi para terminar este ano, mas foi prorrogado para Março de 2017, podendo ir mais além, apesar de não ser do agrado do Schaeuble/Merkel que não perceberam que o que foi feito até agora manteve a inflação em zero e os títulos de tesouro alemães têm juros negativos como os portugueses a curto prazo.

No caso português só os títulos a 10 anos é que pagam juros de 2,05% porque foram colocados no retalho e o governo sabe que só há aforradores se houver juros.

De acordo com as contas do jornal alemão “Die Welt”, no prazo de 14,2 anos estará totalmente liquidada a dívida irlandesa, a maior e de maior duração. A portuguesa tem um prazo de 13,5 anos para desparecer se os governadores do BP estiverem interessados. Se não estiverem e manterem dinheiro líquido em caixa, pode ser que o BCE deixe emitir euros para Portugal.

Schaeuble tinha um medo de que este programa iria lançar a zona euro numa espiral inflacionista, seguindo as normas que veem nos manuais de economia, mas não há inflação e não há crescimento. Os mercados estão saturados e há falta de confiança na medida em que se fala ainda muito de austeridade e o povo não quer nem pode gastar dinheiro. Os mais jovens trabalham a prazo, recibos verdes com valores baixíssimos, etc., os de meia-idade são ameaçados de despedimento e os reformados temem que as suas reformas venham a ser cortadas no futuro. Até agora, toda a política monetária destina-se a aumentar a riqueza de menos de 1% da população europeia.

Mas, é preciso explicar o seguinte. A compra de dívida pelos bancos centrais com dinheiro novo do BCE não significa o desaparecimento da dívida, mas sim a sua permanência nos diferentes bancos centrais a serem substituídas por novas dívidas pelos próprios bancos centrais nas datas de vencimento com os juros sempre a serem devolvidos aos Estados. Contudo, o esquema será viável se os Estados tiverem saldos primários de 0% ou positivos porque se começar tudo de novo podemos sim arriscar muito, o que não é difícil porque quase todos os países já não têm saldos primários (sem serviço de dívida) negativos.

Tudo indica que o prazo das compras do “Quantitative Easing” não vai acabar em Março, mas continuará, não sendo, contudo, necessário que as dívidas sejam assim liquidadas na totalidade. O BCE pode comprar 50% de todas as dívidas a quem quiser vender (fundos gigantescos) ou nos prazos de vencimento, então na totalidade ou em parte.

A redução de todas as dívidas europeias para os 60% previstos nos tratados orçamentais poderá levar muitos menos anos; talvez apenas uns 5 a 6 anos para a Irlanda e Portugal e até ao fim de 2017 ou 2018 para o resto da Zona Euro.

O problema das dívidas resolve-se bem na Europa com políticos e altos funcionários HONESTOS que olhem para os interesses das Pátrias acima dos vis interesses partidários.



publicado por DD às 16:57
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
27
28
29

30
31


posts recentes

Mário Centeno: O que caus...

Dieter Dellinger: A Obesi...

Trump vai nomear um Gover...

O PERIGOSO NEONAZISMO NA ...

Dieter Dellinger: Emissõe...

arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2004

Maio 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds