Jornal Socialista, Democrático e Independente dirigido por Dieter Dellinger, Diogo Sotto Maior e outros colaboradores.
Sexta-feira, 12 de Abril de 2019
Ratzinger Desculpa a Pedofilia na Igreja - A Culpa é dos Outros

 

Ratzinger acusa o Maio de 68, a Democracia e a Liberdade de serem a causa da existência da Pedofilia Católica espalhada por todo o Mundo.

Não é possível ser tão descarado e sem vergonha. O ex-Papa Bento devia saber que a pedofilia católica existe desde há muito e recordo que se falava disso no Liceu Camões quando fui frequentar o 1º e 2º ano, há quase 70 anos.

Foi a obsessão sexual da Igreja com os miúdos e adolescentes nas confissões em que só falavam de sexo que me fez abandonar muito cedo a Igreja Católica nos tempos que frequentava a Igreja de Fátima em Lisboa. Nas aulas de catequese não havia problemas porque eram dadas por uma senhora que nem sequer pertencia a uma ordem religiosa e era casada e tinha filhos. Aí é que está o problema. Na Igreja Católica os padres não podem casar e ter filhos. Serem pois pessoas normais.

Foi a obsessão sexual dos padres na Igreja de Fátima durante as confissões que me levaram a abandonar a igreja e tornar-me ateu.

Depois vim a saber que que foi a Igreja Católica que colocou o monstro Hitler no poder quando o núncio Pacelli, depois Papa Pio XII, ao convencer o Partido do Centro (Zentrum Partei) a dar os votos necessários aos Nazis que não tinham a maioria necessária para eleger um Chanceler. Uma vez eleito sabe-se o que aconteceu.

Ratzinger como católico alemão nunca pediu desculpa pelos milhões de mortos que a atitude da Igreja Católica provocou.

Texto do Mentecapto com muito Alzheimer:

Joseph Ratzinger, o papa emérito Bento XVI, quebrou seu silêncio e publicou um documento de 18 páginas no qual analisa algumas das causas da praga dos abusos sexuais de menores que assola a Igreja Católica. Como resultado da cúpula realizada pelo Vaticano em fevereiro, o texto, intitulado A Igreja e os Abusos Sexuais, aponta alguns fundamentos teológicos para lidar com um dos momentos mais complicados da Igreja Católica. No entanto, o texto vai muito além da esfera eclesiástica e, de certo modo, atribui o problema a uma evolução dos costumes sexuais produzida em toda a sociedade e originada durante a revolução sexual dos anos sessenta. Além disso, culpa em parte "uma justiça garantizadora" para com os padres por sua impunidade e também a falta durante anos de punições mais severas.

O texto está dividido em três partes e deve ser publicado no semanário católico alemão Klerusblatt na Semana Santa, segundo a AciPrensa. Mas foi vazado pelo The New York Post e outras mídias. O documento está estruturado em três partes. Na primeira, apresenta o contexto histórico desde a década de sessenta. De fato, situa o epicentro da origem da questão na revolução de Maio de 68 e no colapso espiritual que supostamente produziu. "Pode-se dizer que nos 20 anos entre 1960 e 1980 os padrões até então vinculativas em relação à sexualidade entraram completamente em colapso e surgiu uma nova normalidade, que até agora tem sido objeto de várias tentativas laboriosas de disrupção". Mas o Papa emérito vai mais longe na demonização desse período e afirma que "parte da fisionomia da Revolução de 68 foi que a pedofilia também foi diagnosticada como permitida e apropriada”.

MAIS INFORMAÇÕES

Bento XVI situa a origem da pedofilia na Igreja em Maio de 68 Vaticano escondeu pedofilia do fundador dos Legionários de Cristo por 63 anos

Bento XVI situa a origem da pedofilia na Igreja em Maio de 68 Papa diz que só aceitará renúncia de cardeal condenado depois que ele esgotar o último recurso

Bento XVI situa a origem da pedofilia na Igreja em Maio de 68 Diretora do suplemento feminino de jornal do Vaticano se demite por tentativas de calá-lo

Na segunda parte, refere-se ao impacto que teve uma certa decadência moral daquele período nos sacerdotes; e, na terceira, lança uma proposta para enfrentar uma situação que, segundo ele, "não foi aguda até meados dos anos 80". O texto, no entanto, não fornece referências claras sobre como erradicar os abusos sexuais de menores dentro da Igreja e conclui que a pedofilia atingiu "essas proporções" ante a "ausência de Deus".

 



publicado por DD às 22:37
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 2 de Abril de 2019
Política de Hierarquização Nazi de Nações em Bruxelas

 

 

 

Bruxelas com o Comissário Português Moedas está cada vez mais a seguir a política do ministro da Economia NAZI Walther Funk que queria uma hierarquização de nações na Europa em que umas podiam ter e fazer certas coisas e outras não.

Portugal era considerado por Hitler e Funk como uma nação agrícola que pouca ou nenhuma indústria devia ter. Salazar com a sua Lei do Condicionamento Industrial estava de acordo com essa política.

Asim, parece que Bruxelas c/ o Moedas acha que Portugal não tem direito a ter uma companhia aérea e daí vir com a ideia que a TAP é a empresa que mais aumentou as suas emissões de dióxido de carbono.

A TAP adquiriu 37 novos aviões, não sendo todos para substituição, pois aumentou muito a sua frota de longo curso com os Airbus A 330 neo equipados com motores Rolls Royce e, por isso, emite mais CO2. São aviões iguais aos que muitas empresas de aviação europeia têm ou estão a adquirir.

Será que só a Alemanha e a França podem ter uma Lufthansa e uma Air France grandes e os pequenos países como Portugal devem contentar-se em andar nos seus aviões

Já há tempos o semanário SOL foi pago por elementos nazis para dizer que os novos aviões A 330 Neo da TAP tinham problemas. Verificou-se que era mentira, mas como ninguém lê esse pasquim não se falou no assunto.

Portugal tem igualmente traidores à Pátria como o FdP da associação ambientalista anti-Portugal Zero (à esquerda) que falou há pouco na RTP 1 antipatriota ao criticar o excesso do turismo que nos proporciona uma receita diária de quase 50 milhões de euros ou 18.250 milhões anuais que são mais de 9% do PIB. Este turismo deve causar  uma profunda raiva ao Moedas e a outros como os finlandeses, suecos, noruegueses, alemães, franceses, etc..

Será que Marcelo Rebelo de Sousa tem razão quando diz que é provável que daqui a 25 anos a União Europeia não exista mais?

 

 

 


tags: , ,

publicado por DD às 14:49
link do post | comentar | favorito

Sábado, 9 de Março de 2019
Combater os Mega Fogos

 

 

 

Combater já os Mega Fogos

 

Esta tarde fui para a minha varanda que não está horrivelmente coberta por vidros como as dos meus vizinhos e ao sol senti muito calor. Fui buscar um termómetro de pé alto e coloquei em cima de uma mesa preta sem reflexos solares.

 

Com grande espanto meu, a temperatura atingiu os 52º C ao sol.

A mesmo tempo estive a ler o número de março da revista "Science et Vie" que trazia um longo artigo sobre os mega fogos ou mega incêndios.

 

Lá está escrito que os mega fogos são raros na Europa com exceção de Portugal e Espanha.

 

E acrescenta que um grande mega fogo necessita de três condições essenciais: condições meteorológicas que temos no verão e agora até no inverno, material combustível e ignição.

 

As condições meteorológicas não podem ser alteradas e tendem a incrementar o perigo de incêndio todos os anos, o material combustível pode ser um gerido, mas não se pode acabar com as árvores no País porque isso tornaria Portugal num deserto ou não reduzia muito o perigo de incêndio porque a flora silvestre nasce por si própria com um pouco de chuva ou humidade.

Na ignição é que o País pode atuar e sabemos que que os vinte mil fogos e mega incêndios registados em 2017 e 2018 tiveram na sua esmagadora maioria mão criminosa e negligência. Parece que só um incendiário da Madeira é que foi preso e estará ainda em julg

A revista S&V relata o mega incêndio de Paradise/Califórnia registado a 8 de Novembro passado que provocou 85 mortos e queimou 14.348 habitações com prejuízos de 10 mil milhões de dólares. Isto no Estado mais rico da maior e mais rica potência mundial, os EUA. Esse mega fogo levou 17 dias a ser controlado e extinto com uma soma gigantesca de recursos em bombeiros e meios aéreos.

Apesar de em 20 anos a Terra ter visto a sua população crescer em 1,5 mil milhões de habitantes e as áreas cultivadas aumentaram em 40%, os mega fogos continuam a ser uma calamidade menos no continente africano em que há precisamente mais cultivo e mais gente.

 

Os mega fogos são fenómenos ultradinâmicos que saltam literalmente em todas as direções com uma propagação de 2 a 5 km/h, pelo que há que correr a fim de uma pessoa não ser apanhada pelo fogo e recentemente, a maior parte dos fogos não se contentam em fazer arder as plantas silvestres rasteiras. Hoje, chegam às copas das árvores, chegando as chamas a atingirem a altura de 50 metros a partir de árvores com 15 ou menos metros. A energia desses fogos que nós bem conhecemos atinge os 30 kWh/m de frente com temperaturas de centenas de graus Cº, o que impede os bombeiros de se manterem algum tempo a distâncias da ordem dos 30 metros. As mangueiras de água derretem-se e o calor faz deslocar os camiões, mesmos travados.

Em muitas regiões - diz o especialista mundial em fogos Thomas Curt - o êxodo rural levou a uma acumulação desmesurada de material combustível como folhas secas, plantes e ervas silvestres, restos de árvores, plástico e todos os anos aumenta o risco de incêndio até em zonas mais a norte da Europa e de outros continentes. O nosso planeta está cada vez mais superpovoado e superaquecido por causa do CO2 e do NO2.

Enfim, necessitamos de criar um modelo de alerta já e na primavera.

Primeiro: Combater criminalmente os incendiários, responsabilizando a magistratura pela negligência que tem mostrado até agora. Toda a gente sabe quem incendiou a Pinhal de Leiria, mas os procuradores nada fizeram e a PJ e GNR pouco fizeram, apesar de terem detido algumas pessoas que têm sido prontamente libertadas porque dizem que nada fizeram aos juízes de instrução.

Segundo: Tomar as medidas que se impões em termos de desbaste de matas demasiado densas e obrigar a EDP/REN e outras entidades responsáveis a controlarem bem os cabos elétricos que estão próximos das árvores e obrigar toda a gente a cumprir as leis sobre distâncias, apesar da sua valia limitada dado que as fagulhas voam a grandes distâncias

Terceiro: Obrigar por lei toda a comunicação social como televisões, rádios e jornais a lançar repetidos alertas gratuitos contra as queimadas e todas as práticas que podem levar a produzir fogos.

Quarto: Nós, os patriotas do facebook, temos o dever de alertar e partilhar a partir de agora contra o perigo do fogo e também de uma forma repetida, até porque sabemos que muitos magistrados se mostram negligentes e inoperantes perante o crime de fogo posto porque esperam que os grandes incêndios do próximo verão façam reduzir o número de votantes no PS.

Todos os partidos políticos estão interessados nisso e sabem que só queimando a PÁTRIA é que talvez consigam mais do que as sondagens indicaram hoje. Daí o que chamando as bestas pelos seus nomes poderemos ter algum êxito. A obrigação de cada cidadão português é defender a Pátria sempre que isso dependa da ação humana.

Saliente-se que estamos em regime de seca que a continuar pode reduzir as possibilidades de abastecimento em água dos camiões tanques dos bombeiros.

 

 



publicado por DD às 18:46
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 28 de Janeiro de 2019
O que fazem os "donos" de Portugal

Este texto foi impedido de ser publicado no Facebook por defender os advogados chineses dos direitos humanos. O Face e o Google estão vendidos aos chineses e entraram numa censura incrível.



Na China foi condenado a quatro anos e meio de prisão o mais conhecido advogados dos direitos humanos do país. Com ele estão condenados e presos mais de 250 advogados dos direitos humanos.



Esses advogados não trabalham no foro político e oficialmente não defendem a liberdade e democracia. O trabalho deles é defender trabalhadores espoliados por patrões e estado que em muitos casos não pagam os salários devidos e agricultores a quem foi extorquida a terra que lhes dava de comer a eles e a muitos outros para instalar fábricas estrangeiras, bairros, cidades novas e albufeiras de barragens. Os agricultores - geralmente velhos - são postos fora das suas casas com indemnizaçõies extremamente baixas e só podem ir muito para interior quase no deserto do Gobi p para tentar plantar algo para comerem e construir uma tosca casa de madeira.



Na China de hoje, falar em DIREITOS HUMANOS é a pior blasfémia possível. O regime não aguenta essas duas palavras, sinal de que está a enfraquecer poara cair um dia destes. E vai cair a partir do topo do Partido Comunista da China.. Quem manda é o presidente e cerca de uma vintena de membros da Comissão Permanente do Comité Central e do Conselho de Defesa em que alguns fazem parte dos dois órgãos, sendo o segundo uma espécie de Estado Maior Superior de todas as Forças Armadas.



Muitos responsáveis por governos de províncias com 100 milhões de habitantes acham-se no direito de fazerem parte dos referidos órgãos suprimeos de comando da gigantesca nação e é aí que pode surgir uma rotura que afunde o PCC.



Foi a esta gente que o governo Passos-Portas-Cristas vendeu grande parte da produção e distribuição do bem mais vital da nossa civilização, a eletricidade e muita coisa mais. e muita coisa mais.



Venderam e não reduziram a dívida pública portuguesa



publicado por DD às 21:58
link do post | comentar | favorito

Sábado, 12 de Janeiro de 2019
Será que a Vinci quer mesmo Montijo

 

 

Quem vai fazer o estudo de impacto ambiental é a própria Vinci (ANA) que já fez um que foi chumbado.

Um amigo que é administrador da ANA disse-me que a Vinci está preocupada em ressarcir-se dos 3 mil milhões de euros investidos no monopólio das concessões aeroportuárias em Portugal, até porque tem um "cashflow" muito baixo da ordem dos 200 milhões de euros e está a investir muito no aeroporto Sá Carneiro, cuja capacidade atual é equivalente à que iria ter o aeroporto de Montijo. Além disso, as ações da Vinci SA caíram 15,87% no ano passado.

António Costa disse que se o estudo de impacto ambiental for chumbado não haverá aeroporto complementar em Montijo nem Plano B. Na verdade, o PSD amarrou a Pátria à Vinci por 50 anos, pelo que ninguém de fora pode assumir o compromisso de investir num aeroporto novo.

A meu ver, a Vinci quer apenas alargar o Aeroporto Humberto Delgado para chegar dos atuais 29 milhões de passageiros aos quase 49 milhões com utilização durante a madrugada - 20 horas diárias -  que é algo que a CML não quer.

A Vinci não quer investir mais de mil milhões de euros em Montijo e o Estado não está para isso.

Contudo, um aeroporto em Montijo aumentará os lucros do grupo Vinci que é proprietário de 40% do monopólio Lusoponte das duas travessias do Tejo, principalmente da Ponte Vasco da Gama que foi construída para mais de 130 mil carros por dia e ronda atualmente metade desse número.

O PSD fez contratos inimagináveis com a Vinci e a Ascendi francesa das autoestradas que detém 41% da Lusoponte. Assim, a Lusoponte só é responsável pelo piso dos tabuleiros e não pelas infraestruturas, mas mete ao bolso todo o valor das portagens. Sérgio Monteiro do PSD até contratualizou com as duas francesas da Lusoponte que o Estado se encarregaria de cobrir qualquer alteração dos impostos a pagar pela Lusoponte como o IRC e IVA.

É curioso como o Anibal deu a construção da Ponte Vasco da Gama a uma empresa inglesa de vão de escada pertença da sua amiga Tatcher e do marido e que foi acusada pelos tabloides de ser um escritório de comissões corruptas a receber, encaixar e pagar aos clientes de material de guerra inglês e de grandes contratos.

Logo que ganhou o concurso, essa empresa fechou as portas depois de passar a construção a um consórcio em que a Vinci Highways SAS detinha a direção da obra e escolha dos construtores especializados e acabou por ser a segunda maior acionista das duas pontes sobre o Tejo.

A Vinci gostaria que o segundo aeroporto fosse feito como a Ponte Vasco da Gama que custou o equivalente a 897 milhões de euros, dos quais 319 milhões vieram do Fundo de Coesão da União Europeia, 299 milhões de um empréstimo do Banco Europeu de Investimentos e 50 milhões deveriam ter origem nas receitas da Ponte 25 de Abril que há muitos anos passou dos 40 milhões por ano sem encargos.

Enfim, a generosidade do Anibal Silva não tinha limites.

Foto: Aeroporto Humberto Delgado como quer a Vinci

 



publicado por DD às 18:39
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2019
Dieter Dellinger: 2018 "Annus Horribilis" para o Capitalismo.

 

O ano de 2018 foi um ano bom para a economia nacional que cresceu mais de 2% com o turismo a puxar e a execução orçamental deve apresentar um saldo próximo do zero, o que é inédito neste século e não foi verificado muitas vezes no século XX e XIX.

Contudo, numa contradição pouco explicável foi um “annus horribilis” para os grandes capitalistas detentores de avultadas participações de empresas cotadas nas bolsas de todo o Mundo..

A Bolsa de Lisboa fechou o ano com uma desvalorização de 12,2% que foi o pior ano desde 2014 em que o colapso do Grupo Espírito Santo arrastou quase todas as ações cotadas para baixo.

Os 18 grupos cotados na Bolsa perderam mais de 3 mil milhões de euros, apesar de em 2017 ter havido um ganho global.

Contudo, o poder de compra dos portugueses aumentou em 2018 e, bem assim, os créditos concedidos.

A explicação respeitante a esta queda global tem a ver com vários fatores dos quais o primeiro é a falta de confiança das classes médias relativamente a fundos de participação em ações e mesmo nos títulos das próprias empresas associado ao pagamento de dividendos muito baixos. Bancos, Financeiras, Fundos, etc. enganaram gente a mais para poderem ver as suas fortunas crescerem.

A maior parte das grandes empresas nacionais que restam possuem modelos opacos de financiamento e desvio de dinheiros para foram que não atraem quaisquer investidores em ações, salvo quando há grandes negócios de tomadas de posições, mas isso já só tem a ver com capitais estrangeiros e é fora que se fazem os grandes negócios.

O PSI 20 que agora é de apenas 18 empresas sobe e desce todas as semanas, mas é porque há quem jogue na bolsa ao comprar em baixa, o que faz aumentar a cotação bolsista, para de imediato vender com um pequeno lucro, fazendo de novo baixar a cotação.

Em termos gerais, interessa o resultado de um ano inteiro e aí sim houve perdas consideráveis.

A maior perda de fortuna na bolsa foi, pelos dados que tenho, a da família Soares dos Santos que desvalorizou em 1.851 milhões de euros. Que ninguém tenha pena deles porque os seus 56.136% do Grupo Jerónimo Martins ainda valem 3.652,7 milhões em termos acionistas, não se sabendo qual o montante das dívidas, pois a expansão do grupo na Polónia e agora na Colômbia deve ter implicado o recurso a avultados créditos.

A família Azevedo fechou o ano com perdas de 348,8 milhões, reduzindo-se a sua participação nas empresas do Grupo Sonae a um valor 1.032 milhões.



publicado por DD às 17:34
link do post | comentar | favorito

Domingo, 23 de Dezembro de 2018
Os Desesperados do Expresso/PSD

 

O Expresso do Sábado (22.12.2018) reflete o desespero de quem quer o caos e a desgraça da Pátria para poder vender mais papel impresso.

O diretor Pedro Santos Guerreiro escreve: “O fiasco das manifestações de ontem dos “coletes amarelos” não é uma vitória dos fatos escuros de gravatas azuis. É só um alívio de sexta-feira”.

O homem acha que não se deve ignorar a “raiva” que não existiu e mostra o habitual em quase todos os jornalistas que é não perceber de números. Mesmo em França foram contabilizadas 283 mil pessoas em várias manifestações. O que é este número comparado com os 20 milhões de eleitores de Macron e o que seriam 50 mil manifestantes em Portugal comparados com mais de 5 milhões de cidadãos que votam nos partidos representados na AR.

As enfermeiras manipuladas pela dirigente Ana Cavaco do PSD são poucas centenas que podem matar milhares de pessoas a prazo ou tornar a vida num inferno devido à falta de uma cirurgia adequada. Julga o Guerreiro que os familiares dessas pessoas e os que se indignam com as já 7.500 cirurgias que não foram feitas vão agradecer ao Rui Rio ou eleger a Cavaco para presidente da República.

O Pedro Santos Guerreira devia fazer as contas às milhares de greves organizadas pela CGTP do PCP durante mais de 40 anos e verificar quais os votos obtidos a mais por um partido que em todas menos a primeira eleição se viu obrigado a esconder o seu nome e a sua foice e martelo atrás de umas siglas como APU e CDU.  Mesmo assim, acho que as greves podem ser úteis aos grevistas, mas nunca aos prejudicados por elas que são em geral outros trabalhadores.

Guerreiro acha que a crescente abstenção resulta do descontentamento de muita gente que deveriam querer uma alternativa que só poderia resultar de um 28 de maio que em 48 anos nada resolveu e deixou a Pátria tão atrasada como em 1926, relativamente ao resto da Europa. A abstenção resulta sempre da chamada “síntese democrática” em que em termos verbais e programáticos no papel todos os partidos tendem a querer o mesmo e dizer aquilo que o eleitorado quer ouvir. Todos querem o progresso, a melhoria do nível de vida, um bom serviço de saúde, boas escolas, etc. Só que o significado de cada afirmação é diferente de partido para partido. Para a extrema esquerda, tudo isso deve passar pelo interesse pessoal de todos os que trabalham para o Estado à custa dos contribuintes. Para um partido como o PS, em tudo deve haver um equilíbrio entre o que se paga e o que se arranca aos contribuintes e para a direita tudo deve ser negócio de investidores, mesmo que o principal seja o Estado Comunista Chinês e hospitais, escolas, meios de transporte só têm razão de existir se derem lucro aos proprietários privados.

As atuais greves hospitalares e as da CP, Metro, etc. têm a vantagem de afastar o grande capital internacional desses “negócios”. Parece que os chineses já estão um bocado arrependidos de comprarem a EDP, tal como os alemães que decidiram que os estrangeiros em relação à EU só podem adquirir 10% das empresas e ativos da Alemanha, medida que aplaudo e que devia ser alargada a toda a União.

Guerreiro cita Louçã que pede à esquerda que deixe de ter vergonha de ser esquerda e Marcelo Rebelo de Sousa que a direita também deixe ter vergonha e assuma os interesses do seu eleitorado. No fundo, o interesse de Guerreiro como empregado do mais antigo militante vivo do PSD é deixar um largo espaço eleitoral entre o centro esquerda e o centro direita para assim ganhar eleições. Mas, o PS não se vai encostar à extrema esquerda nem à direita, limita-se a ficar numa esquerda razoável para todos os portugueses que não estão na luta pelo poder e é isso que tanto atormenta o Guerreiro como o comparsa de página Fernando Sobral.

Sobral fala no “enterro do tostão” e cita 1978 quando o País caminhava alegremente para a primeira intervenção do FMI, mas não diz que íamos acompanhados pela crise da subida dos preços do petróleo e de muitas matérias primas que ao desceram depois fizeram a miséria do Brasil, Argentina e muitos outros países.

Como estamos a caminho de um défice zero nas contas públicas, Sobral torce a realidade e diz “o maior défice é o do pensamento”, claro, principalmente do seu, dado que para ele a Pátria é “o país que dança o giroflé” e acrescenta: “Portugal é um melancólico Jardim da Celeste” e generaliza a queda de um helicóptero em que um piloto imprudente – coitado – levantou ao escurecer com chuva sem ter os instrumentos de navegação noturna. Queria jantar cedo em casa. Como disse Marcelo, isso foi o falhanço do Estado como se não caíssem aviões nos EUA, Alemanha, etc. e a Califórnia não esteve a arder até há bem pouco tempo, queimando milhares de casas e o Tsunami na enorme Indonésia não tenha apanhado de surpresa as populações que viviam rentes ao mar. Sobral deve ser também daqueles que não quer reordenamento da costa com o afastamento das casas que estão demasiado próximas da linha de água.

Se Sobral tivesse lido a revista “Der Spiegel” saberia que também na Alemanha, o Estado nada investiu nos últimos quase vinte anos, um pouco à exceção do leste que nada tinha e que em Berlim estão há vinte anos a construir um aeroporto e tiveram de deitar abaixo o principal edifício porque estava mal construído e não tinha uma proteção contra incêndios, sendo aí que encostariam os aviões.

A Alemanha e a Inglaterra tornaram-se grandes porque tinham ferro e carvão. Portugal quando a civilização dependia da pedra e da madeira foi grande, mas sem carvão e ferro atrasou-se e com uma ditadura de 48 anos inimiga do progresso, isto é, da indústria que empregaria muitos operários dos quais Salazar tinha mais medo do que das cobras com veneno, preferindo que emigrassem ou fossem morrer nas guerras coloniais.

Portugal vive o problema de estar numa Europa dominada pelo povo politicamente mais estúpido do Mundo, o alemão, a cuja raça pertenço, mas não no Cartão de Cidadão em que me orgulho de ser português e porque sei que há apenas uma vintena de nações mais desenvolvidas e mais de 230 em que se vive pior. Até na imensa Rússia cheia de petróleo, gás e todos minerais o PIB per capita é inferior ao Português para não falar no da China que quer conquistar ou comprar o Mundo.

Portugal não é – como diz Sobral – uma flor à beira de precipício e tem muitas possibilidades que até estão descritas no Expresso.

Portugal tem futuro e o combate político é natural em todo o Mundo, salvo nos locais em que populações inteiras são assassinadas. Nas grandes ditaduras mortais, o “Big Brother” está instalado como na China ou na Rússia do Puthitler, como é designado pelos irmãos da Ucrânia que ele gostaria de conquistar, mas não pode por causa do Tratado de Não proliferação de Armas Nucleares que proíbe a conquista dos países signatários que prescindiram desse armamento. Puthitler só pode atuar lentamente através de falsas milícias locais.

Enfim! Conformem-se com o fiasco dos coletes amarelos” e olhem para os novos autocarros amarelos que estão a vir da fábrica portuguesa “Caetano Bus” para a Carris.



publicado por DD às 23:01
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2018
Vitória de António Costa - Derrota Total da Oposição dos Coletes Amarelos

 

 

As manifestações dos coletes amarelos em Portugal a macaquear o que foi feito em França foram um desaire completo, apesar da quase complacência da PSP e das palavras de António Costa que disse aceitar que se façam manifestações desde que sem violências ou destruições.

Em poucos locais como Lisboa, Porto, Braga e Faro apreceram muitas pessoas e nunca mais de duas ou três dezenas. Em Braga, menos de dez pessoas quiseram bloquear um camião e impedirem alguma circulação.

As poucas pessoas a protestar foram uma sondagem altamente positiva a favor da Geringonça e António Costa e uma derrota de grupos fascistas ou simplesmente da direita  que queriam imitar a violência verificada em França, a qual também não teve números politicamente relevantes, dado terem-se manifestado num máximo 283.000 pessoas que nada representam numa grande nação com mais de 40 milhões de eleitores, mas são uma força brutal quando concentrados contra uma polícia que utiliza apenas canhões de água, granadas de gás lacrimogénico e balas de borracha.

Em Portugal, o equivalente seriam cerca de 50 mil pessoas que reunidas num só local que poderiam pôr em cheque as forças da Ordem e até lançar fogo à Assembleia da República como mandou fazer o monstro Hitler em 1933 no Parlamento Alemão para justificar uma espécie de estado de sítio com eleis de exceção que estabeleceram a ditadura até ao fim da guerra com a morte de dezenas de milhões de pessoas.

Os meios de comunicação social, incluindo os do Estado, Antena 1 e RTP deram o maior relevo às minúsculas manifestações porque queriam mais e ficaram desolados.

Um canal de televisão diz que pelas 6 horas da tarde com a saída das pessoas dos empregos pode haver manifestões maiores. Mesmo que as pessoas a sair não sejam manifestantes, a acumulação de pessoas junto a certos meios de comunicação pode gerar grande confusão. Mas, viu-se que de mais de 1,5 milhões de reformados com saúde para sairem e andar pelas ruas devem ter estado presentes não mais de 0,001%.

Numa entrevista dada a uma televisão, um manifestante insurgia-se contra a disparidade entre os salários mais elevados e os mais baixos. É verdade, mas curiosamente ele falou nos milhões que ganham o Mexia e o Queiros Pereira. Sucede que este último já não ganha nada, porque faleceu. Mas quem tem mais de 250 mil euros anuais de rendimento colectável paga uma taxa de IRS de 48% + 11% de TSU, respeitante a salários,  que pode somar cerca de 59% menos uma pequena parcela a abater.

As deduções epecíficas abrangem a quase totalidade de muitos salários baixos, nomeadamente os salários mínimos pelo que estão isentos do IRS ou quase.

As diferenças não são justas, mas servem para a propaganda apesar de os rendimentos baixos abrangerem uma elevada percentagem da populção e os altos são auferidos por muito pouca gente e nem são relativos a salários do Estado porque o próprio PR e PM não ganham assim tanto depois de deduzido o respetico IVA. A redistribuição é feita através do IRS que leva cerca de metade dos rendimentos elevados e taxa gravemente os carros e casas de luxo, além os 235 de IVA serem aplicados

 

 

 



publicado por DD às 14:25
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 20 de Dezembro de 2018
Dias Negros dos Fascismos - Caminhada para o Terror

 

Em Portugal como em quase toda a Europa, leste e oeste, os ógão de informação são tendencialmente antidemocráticos e caminham para ideias fascistas devido ao seu caráter capitalista.  Nalguns países como Itália, Polónia, Hungria, Romésnia e Bulgária os governos já são populistas, o que quer dizer que caminham apressadamente para para uma via fascista.

O nazismo - enquanto ditadura do terror holocáustico - não se generalizou imediatamente após a chegada do monstro Hitler ao poder, apesar de que começou por ajustar contas com o seu próprio partido nazi, assassinando Roehm, o líder das SA que queria um exército puramente nazi e as suas milícias foram as que ajudaram muito a subida de Hitler.

Mas, particularmente em Portugal em que os órgão de informação são todos contrários ao governo legítimo da Pátria e Portugal é uma nação pacífica sem inimigos e aliada dos países da Nato e da União Europeia, o Facebbook, o último reduto da liberdade de informação, resolveu bloquear pessoas como eu que escrevia política favorável a Portugal.

A decisão de bloquear quem colocou posts com 600 partilhas e o último com 330 só blog "Estátua de Sal" foi dada ao sistema de inteligência artificial ou, antes, estupidez artificial que não é capaz de discernir entre incitamento à violência e incitamente à paz porque a crítica à greve das enfermeiras dos bloco operatórias, reproduzindo uma frase da bastonária Ana Rita Cavaco de que "iria morrer muita gente devido à greve" foi considerada como incitamente à violéncia pelos algortimos da estupidez artifical que o Facebook utiliza.

Claro que podemos admitir que atrás da greve das enfermeiras e das manifestações dos coletes amarelos estão interesses americanos, dado que o Facebook é americano e enquanto bloqueia a crítica à greve aos blocos operatórios deixa passar um pseudo noticiário sobre a manifestação dos coletes amarelos com um mapa a indicar cidades e pontos em que os manifestantes deverão ser os macacos de imitação dos franceses, recorrendo à violência.

Trump quer destruir a União Europeia e tem como aliado a Alemanha de Merkel, Schaeuble do CDU e o pessoal nazi do AfD e da organização paralela denominada Pengida que será uma espécie de SA para o AfD (Alternativa para a Alemanha) e para a CDU que deveria abandonar o C de cristã porque nada tem a ver com o cirstianismo.

Desde que Bruxelas se intrometeu com o Facebook, este tornou-se na ponta de lança da fascização da Europa. Esperemos que, desta vez, os povos avisados venham a conseguir provocar o falhanço dessa tentativa. Isto, para bem da Humanidade e dos próprios americanos, incluindo aqui o Facebook que nada terá a ganhar com a censura nazi que está a fazer.



publicado por DD às 17:22
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 19 de Dezembro de 2018
Inteligência Artificial ou Estupidez Artificial

 

Fala-se muito de inteligência artificial como se fosse que já existisse, mas quem alguma vez se viu confrontado com a chamada inteligência artificial chama-lhe antes estupidez artificial.

Assim, o livro das caras ou facebook costuma bloquear alguns escribas por o seu algoritmo de uma suposta inteligência artifical detetar algo que não permite como incitamento à violência, campanha repetida contra ou a favor de algo. excesso de palavras em Maiúsculas, etc.

Acontece que a dita IA do face não é capaz de distinguir o ataque e crítica à violência do respetivo incitamento. Não deteta as nuances que leva alguém dizer que a Ana Rita Cavaco disse que a greve aos blocos operatórios pode causar muitas mortes e reproduzida por outra pessoa, neste caso eu, com uma crítica severa a esta greve que considero imoral e até criminosa pois ninguèm é submetido a uma cirurgia sem ter algo de grave e a sua falta pode reduzir a esperança de vida do doentes, principalmente se for do sistema cardio-respiraório, vascular, etc.

O sistema de IA do Facebook interpretou isso como um incitamente a essas causas.

Noutra situação, critiquei o novo partido nazi alemão AfD (Alternativa para a Alemanha) e reproduzi fotos de objetos que o partido anda a vender, nomeadmanete canecas com a figura do Hitler e uma espécie de foto em que está o homem do exército nazi com uma metralhadora e é dito que o problema dos muçulmanos na Alemanha se resolve a 190 por minuto.

Aqui também o programa de Inteligência Artificial interpretou como sendo um incentivo ao assassinato de muçulmanos.

Eu não sei como funcionaria a chamada Ineligência Artificial do Facebook se o texto estivesse em inglês, pois a tradução automática do português para o inglês causa em geral erros gravíssimos, podendo cada um enganar o sistema com a utilização de sinónimos de duplo significado. Assim , em vez de escrever "palavra" utilizar "termo" que tanto pode ser uma palavra como o fim de qualquer coisa.  Enganar o sistema pode ser escrito como "driblar" que é um termo futebolístico ou "fintar", mas pode ser utilizado em qualquer outro contexto. Matar que é palavra que chama mais a atenção do FB pode ser substituído por aviar, eliminar, extinguir, exício, passamento, falecimento, etc,

Enfim, o dicionário de sinónimos da Porto Editora tem 1.125 páginas, o que atesta a riqueza vocabular da língua portuguesa com uma vasta sinonímia.    

O funcionamento do cérebro humano é bem diferente de um computador, sabe-se hoje, apesar de não ser ainda entendio na sua plenitude.  O saber pode transformar-se numa espécie de raciocínio ou aparente invenção. O aluno pode não conseguir reproduzir na integra um dado conteúdo, mas pode pensar em função do mesmo e ter a impressão que inventou algo que, afinal, lhe veio do exterior. 

Enfim, não acreditemos em tudo o que nos aparece pela frente.

                                                                                           



publicado por DD às 18:15
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

Ratzinger Desculpa a Pedo...

Política de Hierarquizaçã...

Combater os Mega Fogos

O que fazem os "donos" de...

Será que a Vinci quer mes...

Dieter Dellinger: 2018 "A...

Os Desesperados do Expres...

Vitória de António Costa ...

Dias Negros dos Fascismos...

Inteligência Artificial o...

arquivos

Abril 2019

Março 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Junho 2018

Maio 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2004

Maio 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds